terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Amor que cura...

A vida é mais proveitosa quando você tem alguém que lhe inspira a ser melhor.
No momento em que você entende o propósito da sua vida, tudo se torna mais nítido.
Mas agora eu lhe pergunto: Quão rodeado de pessoas você está e quanto elas preenchem sua vida?
Por que ou para quem você vive?
O caminho que você está percorrendo consegue satisfazê-lo de verdade?
Entenda algo importante: Você não foi feito de ferro, portanto, não é inatingível. Por mais controlado ou aparentemente frio que demonstre ser, seu coração já deve ter sido ferido em algumas ocasiões da vida.
O que você fez com essa dor? Conseguiu a cura ou ela ainda está mal cicatrizada dentro de você?
De que maneira você se levanta quando algo aniquila suas forças lhe impedindo de prosseguir?
Pode ser que por causa dessas feridas não cicatrizadas ou da dor latente em seu coração o caminho percorrido seja tortuoso e sombrio, e então, como torná-lo menos doloroso?
Deus sempre esteve e continua disposto a ajudar você. Em sua palavra ELE afirma:
"Eu irei adiante de ti, endireitarei os caminhos tortuosos..." (Isaías 45:2)
Mas existe a necessidade de saber como está seu coração. Ele está seco e árido? Seu interior parece um deserto onde não cresce mais nada? Você precisa de Jesus Cristo!
Ouça a Palavra do Senhor para você: 
"Não vos lembreis das cousas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço cousa nova, que está saindo à luz; porventura não o percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no êrmo." (Isaías 43:18-19)
Jesus Cristo veio a este mundo, viveu e morreu com os braços abertos, e esses mesmos braços continuam abertos para lhe receber e fornecer o consolo e força necessários para que sua vida tenha verdadeiro sentido.
Ouça Jesus lhe Falando com voz doce e suave:
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. (Mateus 11:28-30)   
Você precisa de Jesus e ELE quer lhe ajudar a vencer aquilo que sozinho você não possui forças suficientes.
Permita-se conhecê-lo. ELE é a salvação de Deus oferecida aos homens, o caminho para se chegar ao Pai e o Único e Suficiente Salvador.
Ele pode curar as feridas que só você sabe que está no seu coração, pode lhe ensinar a perdoar e amar como você jamais pensou que pudesse.
Permita-se sentir o amor do Pai que cura toda dor, o perfeito amor de Deus.
Deus abençoe sua vida!


sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Há esperança quanto ao teu futuro!

E há esperança quanto ao teu futuro, diz o Senhor... (Jeremias 31:17)
Esperança: Disposição do espírito que induz a esperar que uma coisa se há de realizar ou suceder. (Dicionário Priberam)
Você tem esperança, ou as situações da vida já a roubaram de você?
Jesus Cristo advertiu que a jornada aqui na terra não seria fácil, e que durante o trajeto, as aflições viriam.
...no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, EU venci o mundo! (João 16:33)
Mas existe uma grande diferença entre continuar mesmo machucado e parar no caminho por causa da dor.
Se você permitir que seu espírito fique abatido, o desânimo e cansaço perturbarão sua mente paralisando seu corpo, pois a palavra do Senhor descreve: “... mas o espírito abatido seca até os ossos” (Provérbios 17:22)
Confiar no que a bíblia diz faz toda a diferença. Ela aumenta a fé e produz a certeza de que Deus pode fazer todas as coisas, inclusive, reverter situações que parecem irreversíveis, afinal ELE pode fazer o impossível!
Ela dispõe o espírito a insistir na esperança de que o melhor ainda está por vir.
A bíblia oferece palavras de encorajamento, fé e esperança. Ela irá lhe fornecer a esperança necessária para que você se mantenha em pé, durante os combates da vida.
O Senhor é quem sustenta a tudo e a todos com mão forte e braço estendido. O caráter de Deus é a melhor garantia de que você pode ter esperança. Se ELE falou, não existe nada, nem ninguém que possa impedir seu cumprimento.
Leia a bíblia e tenha certeza no coração de que: “Há esperança quanto ao teu futuro...”
O melhor de Deus pra sua vida ainda está por vir!
Deus abençoe!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Quando o mundo cai ao seu redor...

Quando o mundo cai ao seu redor, como você faz para se manter em pé?
Como ou onde encontra conforto para a sua alma?
O que ou quem tem sido seu porto seguro?
Tem sido suficiente para acalmar seu coração?
Existem dores que são difíceis de suportar e você precisa de ajuda. O coração sangra e parece parar por um tempo, mas Jesus Cristo pode fazê-lo reanimar. ELE é capaz de dar a paz que impulsiona o coração a se lançar sem medo e sem receio.
A paz que quebra correntes e faz brotar na alma a certeza de que tudo vem de Deus e que o controle sempre esteve em suas mãos.
O Senhor Deus prometeu que nunca abandonaria os seus. (Mateus 28:20)
ELE oferece a paz que excede todo entendimento, aquela que independe de situação para habitar no coração. (Filipenses 4:7)
Os dias são maus...Algo está lhe angustiando? Você precisa da paz que só Jesus Cristo pode dar.
A paz que inunda o coração alicerçada na certeza de que os braços poderosos do Altíssimo sustentam sua vida revigorando a alegria e esperança.
No momento em que as forças parecem se esgotar, ela aponta o abrigo em Deus.
A noite pode ser escura, mas essa paz lhe permite enxergar a luz do Senhor.
As trevas podem estar ao derredor, mas a luz da salvação que vem do Deus está dentro de você.
Ela permite descansar nos amorosos braços do Pai e em sua fidelidade.
Eu lhe convido a experimentá-la, caso  você nunca a tenha sentido. Em Deus você pode encontra-la.

Deus abençoe sua vida! 


Amor sem medidas...

Todos os dias Deus demonstra ao homem quanto o ama.
A cada oportunidade de poder fazer diferente, em cada ensinamento, a cada novo amanhecer, o amor de Deus o envolve.
Você tem noção de quão grande e imensurável é esse amor? Já experimentou a largura, profundidade e intensidade dele?
Tente medir a largura do céu, ou calcular quanta água tem no mar. Difícil não é mesmo?
O amor de Deus é assim, sem medidas...
Qual é o motivo de tanto amor? Simplesmente porque a essência de Deus é amor.
ELE ama sem que você faça nada para ser merecedor.
JESUS CRISTO, o unigênito Filho de Deus é a maior prova do grande amor que ELE tem por você.
Deus lhe ofereceu o que tinha de melhor e mais precioso por amor.
Você consegue lembrar do primeiro amor? Aquele momento em que Deus o chamou para perto DELE e você O amou pelo que ELE é e pelo que fez por você?
Lembre-se de como se sentiu e pergunte a si mesmo o que tem feito para agradecer tanto amor?
Estive lendo um sermão de Charles H.Spurgeon que fala um sobre isso. Seguem alguns trechos, espero que o Espírito Santo fale poderosamente ao seu coração:
Amor sem medidas - Sermão pregado em 7 de Junho de 1885 por Charles Haddon Spurgeon no Tabernáculo Metropolitano, Newington, Londres

“É bom que todos nós regressemos, ocasionalmente, ao nosso ponto de partida, de modo a nos assegurar que estamos indo bem pelo caminho eterno. É mais provável que o amor de nossos cônjuges continue se, uma e outra vez, retornamos ao ponto onde Deus começou conosco e onde nós começamos com Deus pela primeira vez.
É bom que venhamos a Ele outra vez, como viemos naquele primeiro dia quando, desvalidos, necessitados, carregados, estivemos chorando ao pé da cruz, e deixamos nossa carga junto a Seus pés traspassados. Ali aprendemos a olhar, a viver e a amar; e ali queremos repetir a lição até que possamos nos apresentar de maneira perfeita na glória.
De onde veio esse amor? Não de nada externo ao próprio Deus. O amor de Deus surge dEle mesmo. Ele ama porque fazê-lo é a Sua natureza. Deus é amor”. Conforme mencionei, nada sobre a face da terra pode ter merecido o Seu amor. Ao contrário, havia muito que merecia Seu desagrado. Esta corrente de amor flui de Sua própria fonte secreta na Deidade eterna, e não deve nada a nenhuma chuva procedente da terra, nem a nenhum riacho; brota de debaixo do trono eterno, e se abastece das fontes do infinito. Deus amou porque Ele quis amar. Quando nos perguntamos por que Deus amou esse ou aquele homem, temos que regressar à resposta de nosso Salvador a essa pergunta: Sim, Pai, porque assim lhe agradou
Deus tem tal amor em Sua natureza que precisa deixá-lo fluir em direção a um mundo que está perecendo por causa de seu próprio pecado voluntário. E quando fluiu era tão profundo, tão largo, tão forte, que nem sequer a inspiração podia calcular sua medida e, portanto, o Espírito Santo nos deu essas grandiosas palavras, DE TAL MANEIRA, deixando que intentemos medi-lo, conforme vamos percebendo mais e mais esse amor divino.
O fundo negro do pecado faz ressaltar muito mais claramente o fulgor da linha do amor. Quando o relâmpago escreve com dedos de fogo o nome do Senhor na amplidão da escura face da tempestade, nos achamos forçados a vê-Lo; assim também quando o amor inscreve a cruz sobre as negras tábuas de nosso pecado, ainda os olhos que não podem ver estão obrigados a ver que Nisto consiste o amor.”
Existem cinco considerações a respeito desse amor:
A primeira consideração é o DOM: Porque Deus amou o mundo de tal maneira,  que deu o Seu Filho unigênito.” ( João 3:16) Os homens que amam muito estão prontos a dar muito, e usualmente podem medir a verdade deste amor através de seus sacrifícios e renúncias. Esse amor que não guarda nada para si, mas se esgota em ajudar e abençoar o seu objeto, e o verdadeiro amor, e não apenas um amor de nome. O pouco amor se esquece de trazer água para lavar os pés, mas o grande amor quebra o vaso de alabastro e derrama seu valioso perfume.
Gostaria de convidá-los a pensar na sagrada Pessoa que foi dada pelo Pai para demonstrar Seu amor para com os homens. Tratava-se do Seu unigênito Filho: Seu Filho amado, em quem tinha Sua complacência.
Nenhum de nós teve um filho assim para dá-lo. Nossos filhos são filhos de homens; O dEle era Filho de Deus. O Pai deu parte de Si mesmo, Ele que era Um com Ele. Quando o grandioso Deus deu a Seu Filho estava dando a Si próprio, pois Jesus, em sua natureza eterna não é menos que Deus. Quando Deus deu a Deus por nossa causa, estava se dando a Si mesmo.  Quem pode medir este amor?
Vocês que são pais, julguem o quanto amam a seus filhos: poderiam entregá-los à morte por causa de seus inimigos? Vocês que têm um filho único, julguem quão entrelaçados estão seus corações ao seu primogênito, ao seu unigênito filho.
Deus amou o mundo de tal maneira, que deu e ainda dá “o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna”.( João 3:16) O Senhor está entregando a Cristo no dia de hoje. Oh, que milhares de vocês aceitem com alegria o dom indizível! Alguém o rejeitará?
Em segundo lugar, observemos neste momento, e penso que posso dizer que o fazemos com igual admiração, o amor de Deus NO PLANO DE SALVAÇÃO. Ele o expressou assim: “para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha vida eterna. O caminho da salvação é extremamente simples de entender, e extremamente fácil de praticar, tão logo o coração seja levado a querer e a obedecer.
O que significa crer em Jesus?
É, em primeiro lugar, que vocês concordem firmemente e de coração com esta verdade: que Deus enviou Seu Filho, nascido de mulher, para que se pusesse no lugar dos homens culpados, e que Deus derramou nEle todas as nossas iniquidades, para que Ele recebesse o castigo merecido por nossas transgressões, havendo sido feito maldição por nossa causa. Devemos crer de todo coração na Escritura que diz: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e por suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53:5)
Peço-lhes que concordem com a grandiosa doutrina da substituição, que é a medula do Evangelho. Oh, que o Espírito Santo os leve a entender de todo coração essa doutrina de imediato; pois sendo tão maravilhosa, é o fato que Deus estava reconciliando o mundo Consigo mesmo em Cristo, não lhes imputando seus pecados.
Vejam então o amor de Deus ao colocar isto em termos tão simples e tão fáceis. Oh, tu, pecador, que estás quebrantado, esmagado e sem esperança, tu não podes fazer nada, porém, por acaso não pode crer nisso que é verdade? Não pode suspirar; gritar; derreter seu coração de pedra e crer que Jesus morreu por ti, e que Ele pode mudar teu coração e converter-te em uma nova criatura? Se tu podes crer nisto, então confia que Jesus o fará, e serás salvo; pois quem crê nEle é justificado. “para que todo aquele que nele crê tenha vida eterna.” És um homem salvo. Seus pecados são perdoados. Podes ir-te em paz, e não pecar mais.

Em terceiro lugar, o amor de Deus brilha com um brilho transcendente, quer dizer, nas PESSOAS PARA QUAIS ESTE PLANO ESTÁ DISPONÍVEL.
Agora, em quarto lugar, se pode ver outro raio de amor divino na bênção enunciada aqui, ou seja, NA LIBERAÇÃO que está implicada nas palavras, todo aquele que nele crê, não pereça”.
“Todo aquele que nele crê, não pereça. Terá uma vida que não pode morrer, uma justificação que não pode ser discutida, uma aceitação que não cessará nunca.
O que é perecer? É perder toda esperança em Cristo, toda confiança em Deus, toda luz na vida, toda paz na morte, todo gozo, toda bênção, toda união com Deus. Isto nunca te passará a ti, se tu crês em Cristo.
As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna; e nunca hão de perecer e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai que mas deu, é maior do que todos, e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai”. (João 10:27)
A última mostra de Seu amor é apresentada de maneira positiva: NA POSSE.
Nesse mesmo momento em que tu te lanças sobre Cristo, Cristo vem a ti na Palavra viva e incorruptível que vive e permanece para sempre. Ainda que somente uma gota da água celestial de vida caia em teu coração, lembra isto: são palavras pronunciadas por Quem não pode mentir: A água que eu darei será nele uma fonte de água que salta para a vida eterna.” (João 4:14)
Eu me dei conta que a luta se torna cada vez mais intensa pois a cada vitória sobre o pecado, se revela outro exército de tendências ao mal, e que nunca posso embainhar minha espada, nem deixar de orar ou de vigiar.
Não posso avançar nem um centímetro no caminho sem orar por isso, nem manter o centímetro ganho sem estar vigilante e manter-me firme. Unicamente a graça pode preservar-me e aperfeiçoar-me.
Tenha algo sempre em mente:
Não és um homem salvo a menos que Cristo tenha te salvado para sempre.
Deus abençoe sua vida!

Traduzido do espanhol, do sermão “Amor Sin Medida”, traduzido por Allan Román, com autorização deste para português pelo Projeto
Sermão pregado em 7 de Junho de 1885 por Charles Haddon Spurgeon
No Tabernáculo Metropolitano, Newington, Londres



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Você já viveu hoje?

Estranha essa pergunta, não é mesmo?
Responda porém, com toda sinceridade, você já viveu de verdade hoje?
Estamos tão atarefados com tantas coisas: filhos, trabalho, escola... enfim, são tantas preocupações que roubam nosso tempo.
Mas afinal, como saber se está vivendo de verdade?
Para viver de verdade, você necessita antes de tudo, entender o propósito de sua existência, para que você foi criado. Isso só será possível se conhecer seu Criador, Pai, amigo e Senhor. Você precisa conhecer a Deus, viver um relacionamento íntimo, de Pai e filho com ELE e confiar nos propósitos DELE para sua vida. Dessa forma é possível se relacionar melhor com o próximo e aproveitar melhor o tempo.
Quando você se relaciona com Deus, percebe que algumas coisas ultrapassam a capacidade humana e que somente Deus pode fazer. Entendendo isso, depositará diante DELE aqueles fardos pesados que suas costas não suportam afim de que ELE carregue por você. Você aprende a fazer o que está ao seu alcance, e deixa que ELE faça o mais difícil. Algumas inquietações arrancam a paz e causam danos. Você não pode carregar algo que sua estrutura não suporta, e existem situações que não está em seu poder mudar...
Você sabe quanto tempo de vida ainda lhe resta? Não deixe sua vida escorrer entre as preocupações e não espere as situações mudarem para começar a viver.
A Bíblia nos questiona: E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? (Mateus 6:27)
George Sheehan citou a seguinte frase: Existem aqueles de nós que estão sempre prestes a viver. Estamos na expectativa de que algo mude. Estamos esperando até que haja mais tempo, até estarmos menos cansados, até sermos promovidos, até nossa vida se estabilizar — até, até, até. “Parece que sempre há algum grande acontecimento que precisa ocorrer em nossas vidas antes de começarmos a viver”.
Quem sabe você está paralisado diante de uma situação ou problema, indeciso sobre o que deve fazer ou para onde se mover. O filósofo alemão Johann Wolfgang Von Goethe disse: “Cada indecisão gera seus próprios atrasos, e dias se perdem enquanto se lamenta os dias perdidos...“
Decida confiar em Deus! ELE fará o que você não consegue, lhe dará animo e ousadia para fazer aquilo que pode realizar. Portanto, antes que o sol se ponha hoje, faça algo que o faça avançar na direção do seu sonho.
Não é tão simples alcançar um sonho, requer muito esforço e perseverança, e como cita o trecho de um devocional da PPH: “Deus plantou certas coisas dentro de você, e é preciso esperar que elas criem raízes e cresçam.
A palavra nos afirma que: “TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.” (Eclesiastes 3:1)
Enquanto espera, deposite os fardos pesados aos pés do Senhor. Conte a ELE como se sente, seja sincero, Deus o ajudará. Como está escrito em Jó 35:13-14 NLT : “É errado dizer que Deus não ouve, dizer que o Todo Poderoso não está preocupado. Você diz que não pode vê-lo, mas Ele fará justiça se você simplesmente esperar”.
Deus sabe quando mostrar ou não sinais visíveis de encorajamento. É bom quando Ele envia confirmações, mas crescemos mais depressa quando confiamos nele sem elas. Aqueles que confiam independentemente dos sinais, sempre recebem as maiores evidências visíveis do Seu amor”. Deus responde a todas as orações; acontece que em algumas Ele escreve: “Ainda não está na hora certa”.
No final das contas, suas orações estarão menos focadas nas respostas que você deseja ter e mais focadas em seu relacionamento com Deus. Perceberá que Ele está com você, desenvolverá um nível mais profundo de intimidade com Ele e descobrirá que pode confiar nele ao longo de todo o percurso.
Sendo assim, viverá de verdade, pois em seu coração terá a certeza de que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. (Romanos 8:28)

Deus abençoe sua vida!


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A verdadeira FÉ!

Os quais pela fé... alcançaram promessas... (Hebreus 11: 33)
Existe uma certeza cujo efeito é tremendo no Reino de Deus, a fé. Ela é capaz de mover o coração de Deus.
A fé determina confiança e produz certeza no coração do homem.
A bíblia relata que Deus se alegra quando encontra fé no coração do homem, e afirma que “Sem fé é impossível agradar a Deus.” (Hebreus 11:6).
A verdadeira fé não se abala durantes as tempestades da vida, mas permanece firme e constante.
Em certas situações é difícil vivenciar essa afirmação, não é mesmo?
Quantas vezes sua fé oscilou, ou pareceu ter enfraquecido em meio às lutas?  
Lembre-se: “Sem fé é impossível agradar a Deus.” Hebreus 11:6.
E se não agradar a Deus, terá fracassado no principal propósito de sua vida.
Você se considera autossuficiente ou consegue perceber sua fragilidade?
Tem depositado sua confiança na força do seu braço ou derramado sua alma aos pés do Senhor?
Algumas escolhas determinam nosso destino aqui nessa vida, como também na vindoura. Olhe para dentro de si mesmo e faça uma autoanalise: Qual a qualidade de sua fé? Se estiver fraca, Cristo pode lhe ajudar a aumenta-la. Ele pode realizar muito além do que você e eu podemos imaginar.
Gostaria de compartilhar alguns trechos do sermão intitulado: Fé, de Charles H.Spurgeon.
Ele nos ajuda a entender algumas coisas que precisamos aprender.
Algumas vezes achamos que nossa fé é suficiente, mas quando nos deparamos com nossas limitações, percebemos o quanto precisamos melhorar...Segue abaixo trechos desse maravilhoso sermão:

Fé, de Charles H.Spurgeon
Sermão pregado na manhã de domingo, 14 de dezembro de 1856,
Por Charles Haddon Spurgeon,
No Music Hall, Royal Surrey Gardens.
“Sem fé é impossível agradar a Deus.” Hebreus 11:6.

O fim principal do homem nesta vida e na vindoura, assim cremos, é agradar a Deus, seu Criador. Se um homem agrada a Deus, faz o que mais lhe convém para seu bem-estar temporal e eterno. O homem não pode agradar a Deus sem atrair para si muita felicidade, pois se alguém agrada a Deus, é porque Deus o aceita como seu filho.
Se estivermos certos de que quando declaramos que agradar a Deus é ser feliz, então a única pergunta importante é: “Como posso agradar a Deus?” E há algo muito solene no
que diz nosso texto: “Sem fé, é impossível agradar a Deus.”
Ou seja, você pode fazer o que quiser, esforçar-se tanto quanto puder, viver da maneira mais excelente que quiser, apresentar os sacrifícios que desejar, distinguir-se como puder em tudo aquilo que é honrável e de boa reputação; contudo, nada disso pode ser agradável a Deus, a menos que leve o ingrediente da fé. Como disse o Senhor aos judeus: “Em toda oferenda, oferecerás sal”, assim Ele diz a nós: “Em tudo o que fazes, deves trazer fé, pois do contrário, sem fé é impossível agradar a Deus.”
Nunca haverá uma oferta aceitável que não esteja temperada com a fé.
O que é a fé?
Os antigos escritores nos dizem que a fé se compõe de três elementos: conhecimento, aceitação e confiança, ou seja, apropriar-se do conhecimento ao qual lhe damos nossa aceitação e o fazemos ao confiar nEle.
O primeiro elemento da fé é o conhecimento. Um homem não pode crer no que não conhece.
É inútil que um homem afirme: “Sou crente” e, contudo, não saiba em que crê.
Se ele diz “Eu creio” e não sabe no que crê, como isso pode ser essa uma fé verdadeira?
Deve existir certo grau de conhecimento antes que possa haver fé. “Esquadrinhas as Escrituras”, pois, “porque nelas julgais ter vida eterna; e são elas que dão testemunho de Cristo.
Mas um homem pode saber algo, e, contudo pode não ter fé. Pode saber algo e não crer. Por conseguinte, o consentimento deve acompanhar a fé; isto é, devemos crer no que conhecemos e ter a certeza que é a verdade de Deus. Agora, para ter fé, não basta só que eu leia as Escrituras e as entenda, mas devo recebê-las em minha alma como a própria verdade do Deus vivente. E com devoção e com todo meu coração devo receber todas as Escrituras como inspiradas pelo Altíssimo, contendo toda a doutrina que Ele requer que eu creia para minha salvação.
Todo aquele que quer ser salvo deve conhecer as Escrituras e dar-lhe seu total consentimento.
Mas um homem pode ter tudo isto e, contudo, não ter a fé verdadeira. Pois o essencial da fé está no terceiro elemento, ou seja, na confiança na Verdade. Não somente em crer nela, mas em fazê-la nossa e descansar nela para nossa salvação.
A fé verdadeira, em sua essência se baseia nisto: em apoiar-se em Cristo. Não me salvará somente saber que Cristo é um Salvador. Mas me salvará se confio nEle para que seja meu Salvador.
Serei salvo quando fizer dessa expiação minha confiança, meu refúgio e meu tudo. A essência da fé está nisto: colocar-se sobre a promessa.
Exemplificando: Suponhamos que no aposento mais alto de uma casa está acontecendo um incêndio. As pessoas se amontoam na rua. Uma pessoa se encontra na habitação que está em chamas. Como escapará? Não pode saltar para baixo pois morreria de imediato. Um homem forte exclama: “Salta em meus braços!” Uma parte da fé é crer que o homem está ali, e outra parte da fé é crer que o homem é suficientemente forte para segurá-lo. Mas a essência da fé está em atirar-se nos braços deste homem. Essa é a prova da fé e sua verdadeira essência. Esta é a fé que salva.
A fé é a graça que submete o pecador e não há nada que possa fazer com que um homem se humilhe sem fé.
Agora, a menos que uma pessoa se humilhe, seu sacrifício não pode ser aceito.
Devemos ir até Cristo de joelhos. Pois ainda que Cristo seja uma porta suficientemente grande para que o maior dos pecadores possa entrar, Ele é uma porta tão baixa que os homens precisam se inclinar, caso queiram ser salvos. Por isso a fé é necessária, pois a incredulidade é uma evidência certa de falta de humildade.
A fé é necessária para a salvação porque a Escritura nos ensina que as obras não podem salvar.
É Cristo e somente Cristo quem pode abrir a porta do céu para você. Não suas boas obras.”
“São por acaso inúteis nossas boas obras?”
“Não, não depois da fé”. Se você primeiramente crê, poderá ter tantas obras como queira. Mas se você crê, nunca confiará nelas. Pois se confiar nas boas obras, já as teria corrompido e não serão mais boas obras. Tenha tantas boas obras quanto desejar, mas deposite sua confiança em nosso Senhor Jesus Cristo. Se não fizer assim, sua chave nunca abrirá a porta do Céu.”
Sem fé é impossível serem salvos e agradar a Deus, porque sem fé não há união com Cristo. E a união com Cristo é indispensável para nossa salvação. Se eu chego diante do Trono de Deus com minhas orações, elas nunca serão respondidas, a menos que leve a Cristo comigo.
Deus não negará nada ao homem que anda de braço dado com Cristo.
A união com Cristo é o essencial.
Sem fé é impossível agradar a Deus.” Porque sem fé é impossível perseverar na
santidade. Se você é um verdadeiro cristão, um seguidor de Jesus, que assim o diga e sustente sua fé e palavra. Não há razão de envergonhar-se disso. A única coisa que devemos nos envergonhar é da hipocrisia. Sejamos honestos quando professamos nossas crenças e isto será nossa glória. Uma vez, um americano que possuía escravos, na ocasião da compra de mais um, perguntou ao vendedor: “Diga-me honestamente quais são seus defeitos.” O vendedor respondeu: “Não tem nenhum defeito, que eu saiba, exceto um, e esse defeito é que ele ora.” “Ah!”, exclamou o comprador, “isso não me agrada, mas sei de algo que o curará logo desse mal”. Então, na noite seguinte, Cuffey (assim se chamava o escravo) foi surpreendido na plantação por seu novo amo enquanto orava pedindo por seu novo dono, sua esposa e família. O homem escutou a oração e na hora não disse nada. Mas, na manhã seguinte chamou Cuffey e disse-lhe: “Não quero discutir contigo homem, mas não aceitarei orações em minha propriedade. Então, abandone esta prática.” “Meu amo,” respondeu o escravo, “não posso deixar de orar”. Eu devo orar sempre.” “Se insistes em orar, te ensinarei a fazê-lo.” “Meu amo, devo continuar fazendo isto.” “Bem, então te darei vinte e cinco açoites por dia, até que deixe de fazer isto.” “Meu amo, ainda que me açoites cinquenta vezes, devo orar.” “Pois, por causa de toda insolência que responde ao seu amo, receberá os açoites de imediato.” Então, amarrando-o, lhe deu vinte e cinco açoites e perguntou se iria orar de novo. “Sim, meu amo, devemos orar sempre, não podemos deixar de orar.” O amo o olhou para ele assombrado. Não podia entender como um pobre homem poderia continuar orando, quando não parecia fazer-lhe nenhum bem e só lhe trazia perseguição. O senhor contou á sua esposa o que aconteceu. Sua esposa lhe disse: “por que não permites que o pobre homem ore? Cumpre muito bem com seu trabalho. A você e a mim não nos interessa o tema da oração, mas não há nada de mal em deixá-lo orar, sobretudo, se continua realizando bem seu trabalho.” “Mas a mim não agrada,” respondeu o amo. “Espantei-me tremendamente. Se você tivesse visto como ele me olhava” “Estava com raiva?” “Não, isso não me incomodaria. Mas depois de tê-lo açoitado, me olhou com lágrimas nos olhos como se tivesse mais pena de mim, do que dele mesmo.” Nessa mesma noite o amo não conseguiu dormir. Dava voltas na cama de um lado a outro. Lembrou-se dos seus pecados. Lembrou que havia perseguido a um santo de Deus. Levantando de sua cama, falou: “esposa, podes orar por mim?” “Nunca orei em minha vida,” respondeu ela, “não posso orar por ti.” “Estou perdido,” disse ele, “se alguém não orar por mim. Eu não posso orar por mim mesmo.” “Não conheço ninguém na plantação que saiba orar, exceto Cuffey,” disse a esposa. Fizeram soar a campainha e trouxeram a Cuffey. Tomando a mão de seu escravo, o amo falou: “Cuffey, podes orar por mim?” “Meu amo,” respondeu o escravo, “tenho orado pelo senhor desde que mandou-me açoitar e tenho a intenção de seguir orando sempre pelo senhor.” Cuffey pôs-se de joelhos e derramou sua alma em lágrimas e tanto a esposa como o marido foram convertidos. Este homem não poderia conseguir isto sem fé. Sem fé, não teria sustentado sua decisão, e teria exclamado: “meu amo, neste momento deixo de orar. Odeio os açoites do homem branco.” Mas por causa da perseverança e por sua fé, o Senhor o honrou e deu-lhe a alma de seu amo em recompensa. Querido leitor: você tem fé? Crê no Senhor Jesus Cristo de todo seu coração? Se sua resposta for sim, então pode confiar que está salvo. Quem tem fé, renunciou sua justiça própria. Se você põe um átomo de confiança em si mesmo, não tem nenhuma fé. Se põe uma partícula de confiança em qualquer outra coisa que não seja a obra de Cristo, não tem fé. Se tem fé, então podes dizer – “Nada em minha mãos trago, somente à Cruz me agarro.”        A fé verdadeira pode ser reconhecida por isto: Expressa grande estima pela Pessoa de Cristo. Ama a Cristo? Darias tua vida por Ele? Buscas servi-lo? Ama o povo de Deus? Aquele que tem fé verdadeira, terá também submissão verdadeira. Se um homem diz ter fé e não tem obras, está mentindo. Pois, ainda que não confiemos nas boas obras, sabemos que a fé sempre gera boas obras e gera santidade.
Que o Senhor nos ajude a ter a fé verdadeira!

FONTE
Traduzido de http://www.spurgeon.com.mx/sermon107.html
Todo direito de tradução protegido por lei internacional de domínio
público
Sermão nº107— The Faith do volume 3 do New Park Street Pulpit,
Tradução: Higor Fernando
Revisão e diagramação: Armando Marcos Pinto
Capa: Victor Silva



quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Se necessário, mude de rumo!

“...a direção é mais importante que a velocidade com que se chega...”
Essa realmente é uma afirmação de grande relevância.
Você já foi a algum lugar desconhecido com o endereço em mãos, achando estar no caminho correto, mas de repente percebeu que estava perdido?
O problema pode se agravar ainda mais se você insistir na mesma direção, pois se distanciará ainda mais do lugar de destino.
Muitos “caminhos” e escolhas na vida são assim.
Eles apontam rotas que levarão aos destinos almejados, mas a escolha da direção é sua.
       Você consegue perceber se está na direção correta? Está chegando ao lugar que desejava? E se porventura pairar a dúvida, o que você faz? Insiste na mesma direção ou muda o rumo?
Algumas decisões precisam ser tomadas e alguns caminhos precisam ser reconsiderados antes que seja tarde e acarretem perdas inevitáveis.
Se algo não está bem em determinada área de sua vida, observe se não é hora de mudar de atitude, direção ou até mesmo de posicionamento.
Estive lendo o livro: “Mude de rumo antes que seja tarde”, do Pastor Silmar Coelho e percebi que quando algo está errado ou com problemas, Deus nos dá sinais. 
Minha oração é para que eu e você saibamos entender esses sinais e possamos mudar de rumo quando se fizer necessário.
Seguem alguns trechos do livro:
“O ser humano sabe discernir vários sinais”. Ele consegue distinguir o significado de muitos acontecimentos. Infelizmente, o mesmo não se dá em relação aos sinais de Deus para sua própria vida.
O Senhor nos avisa, orienta e exorta. Ele não nos deixa ignorantes do que acontece conosco. Se estamos em pecado, em perigo, ou agindo fora dos propósitos divinos, o Senhor nos avisa, de muitas maneiras. Ele usa sinais.
Jesus avisou a Pedro que este o negaria, e disse-lhe que haveria um sinal dessa negação.
"Disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais! Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que duas vezes cante o galo, tu me negarás três vezes. E logo cantou o galo pela segunda vez. Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera: Antes que duas vezes cante o galo, tu me negarás três vezes. E, caindo em si, desatou a chorar." (Marcos 14.29,30,72) 
Pedro não deu ouvidos ao aviso de Jesus. Então o galo cantou e ele se desesperou. Negara o Senhor, apesar de ter sido avisado.
Isso acontece com a maioria das pessoas. Ignoramos os sinais que o Senhor nos envia. Continuamos controlando nossa vida, apesar dos avisos. Deus nos alerta do perigo. Se não o ouvirmos, a queda será iminente.
O Senhor não nos deixa só com nossos problemas. Ele nos orienta, mandando sinais que nos alertam sobre as dificuldades que estamos vivendo no casamento e no trabalho. Se estamos exigindo do nosso corpo mais do que ele é capaz de conceder, recebemos sinais de que precisamos parar, de que temos que descansar. Se nossos relacionamentos pessoais não estão indo bem, alguns sinais nos alertam para o perigo, levando-nos a buscar um conserto. 
"Atenta para os céus e vê; contempla as altas nuvens acima de ti." (Jó 35.5)
            "Filho meu, atenta para as minhas palavras; aos meus ensinamentos inclina os ouvidos." (Provérbios 4.20)
Devemos ser agradecidos a Deus pela existência da dor.
Esta é suficientemente desagradável para nos fazer retirar os dedos de um fogo aquecido, ou de um aparelho que esteja dando choque. Contudo é essa característica que nos livra da destruição. Se não fosse esse sinal de alerta - a dor -que exige pronta reação, não prestaríamos a atenção devida.
Para aqueles que sofrem de uma doença grave e em estado avançado, a dor é terrível. Contudo, para a grande maioria das pessoas, a estrutura da dor funciona como proteção. Ela é o sinal de que algo não vai bem.
"Um jovem, chamado Êutico, que estava sentado numa janela, adormecendo profundamente durante o prolongado discurso de Paulo, vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo e foi levantado morto." (Atos 20.9)
Esse jovem, Êutico, não dormiu de repente. Ele cochilou, "pescou" um pouco. Contudo não prestou atenção a esses sinais, continuando num lugar perigoso: uma janela. E quando o sono o venceu, ele caiu da janela, e morreu.
O mesmo acontece com o motorista que dirige à noite. O sono vem, ele dá uns cochilos relâmpagos. São sinais de perigo. Ele pode dormir, o que provocará um grave acidente, causando a sua morte.
A febre é outro sinal. Ela indica que algo está errado com nosso organismo, que estamos com alguma infecção ou doença.
O mesmo acontece com nossa vida. A "febre" é um sinal de que estamos com problemas.
No casamento, acontecem brigas, discussões e dificuldades. É a "febre". O casamento está doente.
Nossos filhos são estranhos na própria casa. Não nos respeitam nem confiam em nós. A comunicação há muito não existe.
O Senhor, em sua misericórdia, permite essas "febres". São sinais que ele envia para que tomemos posição e busquemos diagnóstico de nossa "infecção".
E o remédio para essa "infecção" é o sangue precioso de Jesus Cristo.
Deus manda os sinais, para nos alertar.
Deus ilumina nossa mente e coração. Ele nos faz ver, através de sua luz, o que pode nos acontecer. Usa sinais para nos mostrar que precisamos mudar e que estamos correndo perigo.
O Senhor usa as circunstâncias e os acontecimentos para nos despertar.
Infelizmente a maioria do povo de Deus não observa os sinais que o Senhor lhe envia.
Infelizmente, não é a morte que está separando os casais, é a vida que separa as pessoas. É o dia-a-dia, as circunstâncias, as dificuldades. E o voto de amar na felicidade ou na desventura, na alegria ou na dor, na saúde ou na doença, para muita gente passa a ser inconcebível.
Quando você discute com a pessoa que você ama, isso é um sinal de alerta. Algo está errado.
Toda vez que você bate a porta do carro na cara do outro, está externando um problema, mostrando que algo não vai bem.
Se você entra no carro discutindo, levanta a voz e se ira, isso é sinal de que seu relacionamento está com problemas.
E quando ouvimos esses sinais e os entendemos, podemos escolher outro caminho, fazendo pequenas mudanças e, assim, levar nosso casamento de volta ao caminho do amor.
As circunstâncias e acontecimentos da vida são muitas vezes, uma "sacudidela" para nos despertar. Se acordarmos e mudarmos nosso rumo e atitudes, chegaremos ao fim de nossa jornada salvos, tranquilos e em paz.
Contudo, se continuarmos nesse caminho e não modificarmos nossas atitudes, a despeito dos sinais de alerta para que mudemos de rumo, certamente teremos experiências amargas e desastrosas.
Uma das principais maneiras de experimentar uma profunda satisfação no amor duradouro com a pessoa amada é aprender a amar a si mesmo.
"Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo."(Gálatas 5.14)
Geralmente esquecemos a segunda parte desse mandamento. Ela é bem clara: temos de amar a nós mesmos.
Temos de amar cada parte de nossa vida. Tanto a boa como a ruim; a que traz problemas, como a que nos dá satisfação.
A sua felicidade vai depender muito de como você lida com a vida, da sua atitude para com as situações.
Para que você esteja enamorado de alguém e para que esse amor dure, você precisa ser apaixonado pela vida.
Por quê muitos se casam e são infelizes? Porque se eram infelizes quando solteiros, serão infelizes quando casados. Se não estão satisfeitos com a vida, não poderão fazer ninguém feliz, pois nem eles mesmos são felizes.
Não podemos fazer ninguém feliz se não estamos felizes.
Só podemos fazer o outro feliz, se formos felizes. Só podemos dar oxigênio para o outro, se já estivermos respirando. Só traremos alegria para o outro se já estivermos alegres.
Se eu não conheço a Jesus, como vou levar alguém até Ele? Se não sou feliz, como vou ensinar alguém a ser alegre? Se não sou feliz, como vou casar a fazer alguém feliz?
Antes de tentar fazer alguém feliz, temos de resolver nossos problemas de tristeza e agonia. Temos de acabar com isso que está na nossa alma nos fazendo sofrer, nos tirando a paz.
Estão entendendo por quê muitos casamentos não dão certo? Um dos cônjuges não "tem oxigênio" nem para ele, como vai ajudar o outro? Não tem felicidade nem para ele, como vai fazer o outro feliz?
Em muitas áreas de nossa vida, não vamos conseguir mudar de rumo sozinhos, precisaremos da ajuda de Jesus para modificar a direção de nossa existência, para humilhar-nos, e quebrantar nossa alma.
A mudança começa no nosso interior, no coração. Então o exterior refletirá a mudança do interior.
Pequenas mudanças levam a grandes resultados, elas produzirão grandes e positivos efeitos em nossa vida.
Esse princípio se aplica também à vida espiritual. Começamos a orar, no princípio é difícil, mas aos poucos com atitudes simples e pequenas mudanças, criamos o hábito de orar. Então, a oração passará a ser um momento de prazer e satisfação. O mesmo acontece com a leitura da Bíblia. São as pequenas decisões do dia-a-dia que criam o hábito da leitura.
Sejam consequências de falhas nossas ou de peso que as circunstâncias queiram nos impor, nada pode nos impedir de avançar.
A escolha é sua, ou você muda de rumo ou seu casamento vai bater numa montanha de gelo e afundar. Ou você controla seus gastos ou vai passar dificuldades.
Ore a Deus e peça que abra seus olhos e coração para que possa estar atento aos sinais enviados e para que você faça consertos com ELE.” 
         Desejo que o Senhor nos ensine a ter um coração atento.

         Deus abençoe sua vida!