segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Deus não muda!

Começar o dia sendo lembrado dessa grande verdade é maravilhoso!
DEUS NÃO MUDA!
Nós mudamos, nossos planos mudam, nossos pensamentos mudam, enfim muitas coisas sofrem alterações! Mas com DEUS isso não acontece. Deus não muda!
Os mesmos pensamentos que ELE tinha a meu respeito ontem, ELE os tem hoje!
O mesmo amor com que ELE me amou ontem, é igual ao que ELE sente por mim hoje!
Eu posso desistir dos meus sonhos mas ELE nunca desistiu de realizá-los!
Essa é a causa de não sermos consumidos, porque ELE não muda.
Tenho sido grandemente edificada atráves de algmas leituras que tenho feito, como esta que destacarei a seguir.
Louvado seja o nome do Senhor que não muda!

"Tópicos extraídos do Livro "DEUS NÃ MUDA" de "CHARLES HADDON SPURGEON" "

"Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos." (Malaquias 3:6)

* Mensagem pregada por C. H. Spurgeon, sob o título “A Imutabilidade de Deus”, na manhã do dia 7 de janeiro de1855 na New Park Street Chapel, Southwark, Londres, quando Spurgeon ainda estava com 20 anos.

“Na contemplação de Cristo há consolo para todas as tristezas; na meditação sobre o Pai há descanso para toda dor; na influ­ência do Espírito Santo alívio para todas as mágoas”.
Deus é Jeová e Ele não muda em Sua essência. A substância das coisas mortais sempre muda. As montanhas com seus topos brancos de neve perdem seus velhos diademas no verão em rios que correm ao pé delas, o oceano, com suas poderosas marés, perde sua água quando os raios de sol beijam as ondas e as arrebata em evaporação para o céu; até mesmo o sol necessita de combustível novo da mão do infinito Todo-poderoso para encher o seu eterno forno ardente. Todas as criaturas mudam. O homem, especial­mente em seu corpo, está sempre sofrendo revolução.
Contudo, Deus é perpetuamente o mesmo. Ele não é composto de qualquer substância ou matéria, mas é espírito - puro, essencial e etéreo espírito - e por isso é imutável. Ele permanece para sempre o mesmo. Não há nenhuma ruga em Sua eterna testa. Nenhuma época O paralisou; nenhum ano O marcou com recordações pas­sageiras, Ele vê as eras passarem, mas com Ele está sempre o agora. Ele é o grande Eu sou - o Grande Imutável. Lembre-se, a essência dEle não sofreu nenhuma mudança quando se tornou unido com a natureza humana. Quando Cristo outrora cingiu-Se com barro mortal, a essência da deidade dEle não foi mudada; a carne não se tornou Deus, nem Deus Se tornou carne por uma mudança real de natureza; as duas naturezas estavam unidas numa união hipostática, entre­tanto a Deidade ainda era a mesma. Era a mesma quando Ele era um bebê na manjedoura, como quando Ele estendeu as cortinas do céu; era o mesmo Deus que foi pregado na cruz e cujo sangue fluiu abaixo num rio escarlate, o mesmo Deus que sustenta o mundo com Seus eternos ombros e mantém em Suas mãos as chaves da morte e do inferno. Ele nunca mudou na Sua essência, nem mesmo pela Sua encarnação; Ele permanece sempiterno, eternamente, o único Deus imutável, o Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação (Tiago 1:18).
Ele não muda em Seus atributos. Qual­quer um dos atributos de Deus era no passado, como é agora. Acaso Ele era poderoso? Ele era o Deus poderoso quando chamou o mundo para fora do útero da não existência? Era Ele o Onipotente quando empilhou as montanhas e cavou a terra oca para formar os leitos dos rios? Sim, Ele era então poderoso e o braço dEle é agora único, Ele é o mesmo gigante em Seu poder; a seiva da nutrição dEle é interminável e a força da Sua personali­dade é a mesma para sempre. Porventura Ele era sábio quando constituiu este globo? Poderoso, quando estabeleceu as fundações do universo? Tinha Ele sabedoria quando planejou os meios da nossa salvação e quando desde toda eternidade estabeleceu Seu grandioso plano? Sim, Ele é sábio agora; não é menos hábil, Ele não tem menos conhecimento; os olhos dEle que vêem todas as coisas não estão embaçados; Seus ouvidos ouvem todos os gritos, suspiros, choros e gemidos do Seu povo, não estão tapados para suas orações. Ele é o mesmo em Sua sabedoria, Ele sabe agora tanto quanto antes, nem mais nem menos; Ele tem a mesma capacidade ilimitada e a mesma presciência infinita. Ele permanece inalterado, bendito seja o nome dEle na Sua justiça. Justo e Santo Ele era no passado; Justo e Santo Ele é agora. Ele está inalterado na Sua verdade; Ele promete e Ele realiza; Ele disse isso e isso será feito. Ele não varia na bondade, generosidade e benevo­lência da Sua natureza. Ele não Se tornou num tirano todo-poderoso, ao passo que era uma vez um Pai todo-poderoso; mas Seu forte amor permanece como uma rocha, impassível pelos furacões da nossa iniqüidade. E bendito seja o Seu precioso nome, Ele nunca mudou no Seu amor. No princípio, quando Ele firmou a alian­ça, quão cheio estava Seu coração de afeto pelo Seu povo. Ele sabia que o Seu Filho teria que morrer para ratificar os artigos daquele acordo. Ele sabia muito bem que tinha de dar o Seu melhor pelos amados de Suas entranhas e o enviou à terra para derramar Seu sangue e mor­rer. Ele não vacilou em ratificar aquela poderosa aliança, nem evitou seu cumprimento. Ele ama hoje tanto quanto no passado e quando o sol deixar de brilhar e a lua de mostrar sua tênue luz, Ele ainda amará e para sempre e sempre. Tome qualquer atributo de Deus e eu escreverei a respeito dele sempre idem (sempre o mesmo). Diga qualquer coisa que puder de Deus e isso pode ser dito num passado escuro como também num futuro luminoso e sempre permanecerá o mesmo: "Eu sou Jeová, eu não mudo".
Deus não muda em Seus planos. Deus é um Arquiteto todo-sábio; Ele organizou tudo em Seu imenso intelecto bem antes de realizá-lo; e tendo estabelecido de uma vez por todas, tenha certeza, Ele nunca alterará isso. "Isso será feito", diz Ele, e a mão forte do destino marca isso e o faz cumprir. "Este é o Meu propósito" e isto posto, nem terra ou inferno podem alterá-lo.
Meu nome das palmas das Suas mãos A eternidade não apagará; Impresso permanece em Seu coração, Em marcas de indelével graça.
Deus é imutável em Suas promessas. "Por duas coisas imutáveis nas quais é impossível que Deus minta...". Você poderia me dizer: "No passado eu construí minha casa firmemente em algumas promessas estáveis; então veio um vento e eu disse: ó Senhor, estou abatido e ficarei perdido." Ora, as promessas não falharam; as fundações não foram removidas; o problema foi aquela pequena casa de "madeira, palha e restolho" que você construiu. Foi essa que caiu. Você foi abalado sobre a rocha, não a rocha debaixo de você.
Eu ouvi que um granfino disse a um negro, "eu não posso entender como é que você está sempre tão con­tente no Senhor e eu estou freqüentemente abatido". "Ora, senhor", disse ele, "eu me lanço prostrado na promessa - lá eu descanso; você permanece de pé na promessa - você tem muito pouco a fazer com ela e cai quando sopra o vento e então clama, "O, eu caí", ao passo que logo me lanço prostrado na promessa, por isso que não tenho medo de cair." Então, vamos sempre dizer: "Senhor, existe a promessa e é Tua responsa­bilidade cumpri-la". Eu me prostro na segurança da promessa! Não fico de pé. Esse é o lugar onde você deve ir - prostrado sobre a promessa; lembre-se, cada promessa é uma rocha, uma coisa imutável. Então, prostre-se aos Seus pés e descanse aí para sempre.
Mas agora vem uma coisa chocante para deteriorar este assunto. Para alguns Deus é imutável em Suas ameaças. Se toda pro­messa for firme, e todo juramento da aliança for cumprido, preste atenção pecador - observe esta palavra - veja a morte de suas esperanças carnais; veja o enterro de sua confiança carnal. Cada ameaça de Deus, bem como cada promessa, será cumprida. Com respeito a decretos - eu lhe fala­rei de um decreto: "Quem não crê será condenado" (Mar. 16:16). Isso é um decreto e um estatuto que nunca pode mudar. Seja tão bom como quiser, ou tão moral quanto puder, seja tão honesto quanto quiser, caminhe tão corretamente quanto puder - existe uma ameaça inalterável: "Quem não crê será condenado". Você precisa crer ou será condenado, diz a Bíblia; e veja, essa ameaça divina é inalterável tanto como o próprio Deus. Cuidado, "horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo"(Heb. 10:31).
Algumas Provas
*A própria existência e o ser de um Deus, parece-me implicar em imutabilidade.
*Deus é um Ser perfeito. Ora, se Ele é perfeito, Ele não pode mudar. Suponha que eu seja perfeito hoje; se fosse pos­sível eu mudar, seria eu mais perfeito amanhã depois de alguma mudança? Se eu mudasse, eu teria que mudar de um estado bom para um melhor - e assim, se eu pudesse melhorar, não seria perfeito agora.
* Deus é infinito. Infinito significa tudo. Significa sem limite, não finito, não tendo fim. A infinidade tem escrito na Sua testa a palavra "imutabilidade".
Entretanto, queridos amigos, olhemos para o passado e lá juntaremos algumas provas da natureza da imutabilidade de Deus. As vezes ouço alguém dizer: "eu posso me lembrar de uma passagem nas Escrituras onde Deus mudou"! O caso que eu quero mencionar é o da morte de Ezequias. Isaías veio e disse: "Ezequias, você vai morrer, sua doença é incurável, ponha sua casa em ordem". Ele se virou para a parede e começou a orar; e antes que Isaías saísse fora do palácio, foi-lhe ordenado que voltasse e dissesse: "Você ainda viverá mais quinze anos". Vocês podem pensar que isso prova que Deus muda; mas realmente eu não posso ver nisso a menor prova possível. Acaso vocês acham que Deus não sabia que isso aconteceria? Ora, Deus sabia disso; Ele sabia que Ezequias viveria. Vocês sabem de uma coisa? - que Manasses, filho de Ezequias, até aquele momento ainda não havia nascido e que se Ezequias tivesse morrido, não haveria nenhum Manasses, nenhum Josias e nenhum Cristo, porque Jesus veio ao mundo dessa genealogia. Vocês verão que Manasses tinha doze anos quando seu pai morreu; de forma que ele nasceu três anos depois disso acontecer. E vocês não crêem que Deus decretou o nascimento de Manasses e o pré-conheceu? Certamente. Então Ele decretou que Isaías deveria ir e dizer a Ezequias que a doença dele era incurável e também dizer ao mesmo instante, "mas Eu te curarei e ficarás vivo". Deus agiu dessa maneira para incitar Ezequias à oração. Isaías não tinha terminado a frase. Ele disse, "você tem que pôr sua casa em ordem pois não há nenhuma cura humana; mas (e então ele caminhou para fora. Ezequias orou por um instante e então ele (Isaías) entrou novamente, e disse) diz o Senhor: "eu te curarei". Onde consta aí qualquer contradição, exceto no cérebro daqueles que lutam contra o Senhor e desejam fazer dEle um ser mutável?
AS PESSOAS PARA AS QUAIS ESTE DEUS IMUTÁVEL É UM BENEFÍCIO.
Pela expressão "filhos de Jacó" entenda-se: São Aqueles que crêem, ao quais Ele dá o direito e poder para se tornarem filhos de Deus. Eles têm interesse no sangue de Cristo; eles têm direito para "entrar pelos portões da cidade"; eles são intitulados a honras eternas; eles têm uma promessa de glória eterna; eles têm direito de chamar-se os filhos de Deus.
Achamos que sofremos e que a cruz as vezes se torna pesada demais, porém não temos a verdadeira noção do que é sofrimento. Pois o "homem de dores" foi afligido mais que vocês; Jesus realmente era um sofredor. Vocês só vêem as orlas do vestuário da aflição. Vocês nunca foram provados como Ele. Não entendem o que signi­fica ter problemas; vocês não sabem o que é beber do cálice da provação; só tomaram uma ou duas gotas, mas Jesus bebeu até mesmo as borras do cálice. Não temam, diz Deus: "eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, filhos de Jacó", pessoas de provações aflitivas, "não sois consumidos".
BENEFÍCIO QUE ESSES "FILHOS DE JACÓ" RECEBEM DE UM DEUS IMUTÁVEL.
"Por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos." "Consumidos"? Como? Como podem os homens ser consumidos? Há duas maneiras. Poderíamos ter sido consumidos no inferno. Contudo, há um modo de ser consumido neste mundo; há a possibilidade de ser condenado mesmo antes de morrer - "já está condenado", é possível estar vivo e ao mesmo tempo estar completamente morto. Poderíamos ter ficado com nossos pró­prios planos e, daí, onde estaríamos agora? Se o Senhor tivesse mudado, vocês e eu deveríamos ter sido consumidos por nós mesmos; pois, afinal de contas, o "senhor eu" é o pior inimigo que um cristão pode ter. Teríamos sido assassinos de nossas próprias almas; teríamos preparado o co­po de veneno para os nossos próprios espíritos, se o Senhor não tivesse sido um Deus imutável e tirado o copo das nossas mãos quando estávamos a ponto de bebê-lo. Chamamos Deus de pai, e ELE o é. Ele tem a família mais problemática de todo o mundo, incrédula, ingrata, desobediente, esquecida, rebelde, desviada, murmurante e endurecida. Bem, é por que Ele é paciente; senão já teria não só usado a vara, como também a espada contra vários de nós há muito tempo. Devido não haver nenhuma razão para que merecêssemos amor, Deus nos amou antes de termos praticado qualquer obra, seja ela boa ou má, e continua nos amando da mesma forma. Ele nos amou segundo Sua graça soberana e ainda nos amará. Desde que nossas boas obras não Lhe despertaram a afeição, obras más não podem apagar esse afeto; desde que nossa retidão não ligou o amor dEle a nós, assim a nossa maldade não poderá romper os vínculos dourados.
Todavia deveríamos ter sido consumidos pelo diabo e por nossos inimigos - consumidos pelo mundo, por nossos pecados, por nossas ten­tações e por outras centenas de modos diferentes, se Deus alguma vez tivesse mudado. Lembrem-se que Deus é o mesmo, não importa o que aconteça. Seus amigos podem ser infiéis, seus pastores podem ser levados embora, tudo pode mudar, mas com Deus isso não acontece. Seus irmãos podem mudar e podem lançar seu nome na lama, porém Deus ainda amará vocês. Suas vidas podem ser abaladas e vocês podem ficar fracos e doentes; tudo pode desvanecer - existe um lugar onde as mudanças não podem colocar suas mãos; existe um nome no qual a mutabilidade não estará presente; existe um coração que nunca mudará; é o coração de Deus - esse nome é Amor.

Enquanto há vida, existe esperança!
JESUS CRISTO ama você!

Tente conhecê-lo e verá que ELE é TOTALMENTE DESEJÁVEL!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

JESUS CRISTO, Sabedoria, Justiça, Santificação e Redenção!

Deus é Maravilhoso!!!
Sua sabedoria vai muito além de nosso entendimento.
Sua Justiça é Perfeita!
Sua Redenção é completa!
Deus é tão bom que na sua inimaginável sapiência nos preparou todas as coisas.
"Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal...(Jer 29:11)
Os pensamentos de Deus a nosso respeito são bons, puros e perfeitos.
Não havia um modo de alcançarmos a Salvação por nós mesmos, então o SENHOR, DEUS TODO PODEROSO enviou seu FILHO JESUS CRISTO, para através DELE firmar uma nova e eterna aliança com o homem.
Mas vós sois dele, em JESUS CRISTO, o qual para nós foi feito por Deus Sabedoria, e Justiça, e Santificação, e Redenção; (1Cor 1:30)
Estive fazendo uma leitura a respeito dessa tão preciosa graça na obra de "George Whitefield", "CRISTO, Sabedoria, Justiça, Santificação e Redenção".
Abaixo seguem alguns tópicos extraídos dessa abençoadora obra:

Deus Pai é a fonte da Deidade e JESUS CRISTO é o MEDIADOR entre Deus e os homens. (1 Timoteo 2:5).
Deus nos amou com amor eterno, como ELE mesmo destacou, antes da fundação do mundo. (Mat 25). Nossa redenção foi realizada de maneira que nenhuma carne possa gloriar-se diante de Deus.
JESUS CRISTO se tornou SABEDORIA da parte de Deus. Em que consiste a sabedoria verdadeira? Será que a vida do homem consiste na abundancia das coisas que possui? Ou será que é avaliada pela quantidade de conhecimento adquirido? “Para o que lhes servirá a sua sabedoria, se não os tornar sábios para a salvação?”.
Conhece-te a ti mesmo”.JESUS CRISTO se nos tornou SABEDORIA da parte de Deus porque quem se achega a ELE é obrigado a conhecer a si mesmo de modo que não tenha um conceito elevado de si próprio. “Antes estavam nas trevas; agora são luz no Senhor; e nessa luz, vêem as suas próprias trevas; agora lastimam a sua condição de criaturas caídas por natureza, mortas nas transgressões e nos pecados, filhos e herdeiros do inferno, e filhos da ira. Percebem que toda a sua justiça é apenas como trapos de imundícia; que não há saúde na sua alma e que não há outro nome dado debaixo dos céus, mediante o qual possam ser salvos, senão o de JESUS CRISTO. Vêem a necessidade de abraçar o Salvador, e percebem a Sabedoria de DEUS em designa-lO para ser o Salvador.
A SALVAÇÂO SÓ É ALCANÇADA POR MEIO DE JESUS CRISTO”.
JESUS CRISTO se tornou JUSTIÇA da parte de Deus. A totalidade da justiça pessoal de CRISTO,é imputada aos que O recebem como Salvador e considerada como deles. Sendo capacitados pela fé a firmar-se em Cristo, Deus Pai apaga suas transgressões, como se fossem uma nuvem espessa; dos seus pecados e iniqüidades não Se lembra mais; são feitos justiça de Deus em Jesus, que é o fim da lei para a justiça de todo aquele que crê. Em certo sentido, Deus agora não vê neles nenhum pecado; a aliança das obras é inteiramente cumprida neles; são realmente justificados, absolvidos e considerados justos aos olhos de Deus; são perfeitamente aceitos no Amado; estão completos nEle; a espada flamejante da ira de Deus, que antes girava em todas as direções, agora é removida, e livre acesso é dado à árvore da vida; são capacitados a estender o braço da fé, colher o fruto, e viver para todo o sempre. É daí que o apóstolo, consciente deste privilégio abençoado, irrompe nessa linguagem triunfante: "é Cristo quem justifica, quem condenará?". O aguilhão da morte é o pecado, a força do pecado é a lei; mas Deus lhes deu a vitória, imputando a eles a justiça do Senhor Jesus. E bem podem regozijar-se diante da conversão porque o Senhor é a justiça deles; têm paz com Deus, mediante a fé no sangue de Cristo, e nunca entrarão em condenação. “Cristo Se tornou da parte de Deus, justiça; o que, pois, podem temer?”.
JESUS CRISTO se tornou SANTIFICAÇÃO da parte de Deus. Santificação aqui faz referência a uma renovação total do homem. Pela justiça de Cristo os salvos passam legalmente a ter vida; pela santificação são tornados espiritualmente vivos; pela primeira recebem o direito à glória; pela segunda são tornados dignos da glória. Portanto são santificados inteiramente em espírito, alma e corpo. Seus entendimentos, que antes eram entenebrecidos, agora se tornaram luz no Senhor; e suas vontades, antes contrárias à vontade de Deus, agora estão em harmonia com ela. São feitos co-participantes da natureza divina e de Jesus Cristo recebem graça sobre graça. Toda graça que há em Cristo é copiada e transcrita para suas almas; são transformados à Sua semelhança; Ele está formado dentro deles; habitam nEle e Ele habita neles; são guiados pelo Espírito, e produzem o fruto do Espírito; sabem que Cristo é seu Emanuel, Deus com eles e neles; são templos vivos do Espírito Santo. Sendo eles, portanto, uma habitação santa ao Senhor, a Trindade habita e anda neles; enquanto aqui na terra estão assentados com Cristo nos lugares celestiais, e por uma fé viva estão vitalmente unidos com ELE. Falam e andam com ELE assim como um homem fala e anda com seu amigo. “Ora, a justiça de Cristo, ou aquilo que tem feito em nosso lugar, é a causa única da nossa aceitação diante de Deus, e de toda a santidade operada em nós”. “Por causa da justiça de Cristo exclusivamente, e não por causa de alguma coisa operada em nós, é que Deus nos contempla com favor”.”A Santificação não é a causa de nossa aceitação por Deus, mas sim o efeito dela”.
JESUS CRISTO se tornou REDENÇÃO da parte de Deus. Justificação não somente significa a remissão dos pecados passados, mas também um direito constitutivo a todas as coisas boas do porvir. Se Deus nos tem dado o SEU FILHO, como não nos dará com Ele livremente todas as coisas? Da mesma maneira como a obediência de Cristo é imputada aos salvos, a Sua perseverança naquela obediência é também imputada a eles. Com a palavra "redenção" não devemos entender que apenas significa uma libertação completa de todo o mal, mas implica também em pleno desfrute de todo o bem, tanto no corpo quanto na alma. Isso mesmo: tanto no corpo quanto na alma, pois o Senhor também é para o corpo. Os corpos dos santos nesta vida são templos do Espírito Santo. Deus faz uma aliança com o pó dos crentes; depois da morte, embora os vermes os destruam, mesmo na sua carne verão a Deus. "Convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista de imortalidade" (I Cor. 15:53). Seus corpos, bem como suas almas, foram dados a Jesus Cristo pelo Pai. “Alguém Pode, com toda a força da razão natural, achar um meio melhor de aceitação com Deus, do que mediante a justiça do Senhor Jesus Cristo? Não percebem que não podem transformar seus próprios corações?.
Precisamos revestir-nos (como eleitos de Deus) de humildade de coração, e gloriar-nos somente no Senhor, pois nada possuímos a não ser aquilo que recebemos da parte de Deus.
Não se firmem na sua própria fidelidade, e sim na imutabilidade de Deus”.
Cristo, tendo amado vocês, os amará até o fim”.