terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Vencendo o Medo!

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.”  Isaías 41:10.
Qual coração não se sente fortalecido recebendo palavras tão fortes provenientes do próprio Deus?
Mas e quanto aos que não conseguem enraizar essa certeza ao coração ou ainda não a conhecem? Esses, ficam vulneráveis ao medo. 
O medo é um sentimento capaz de paralisar, desanimar e esmorecer até o mais valente lutador.
Ele assombra,  mina a esperança e enfraquece a fé.
Você tem concedido espaço para que ele habite em sua mente e coração?
O que tem amedrontado você? Qual é a razão pela qual seu coração está apreensivo e aflito? Por quê está parado sem saber para onde ir, sentindo-se esmagado pelo peso dos problemas dessa vida?
Ouça Deus falando contigo...” Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus”...
Você consegue sentir segurança nessas palavras?
Quando durante a trajetória do caminho você se depara com as seguintes opções: temer ou confiar, qual delas tem estado mais presente em seu coração?
Charles H.Spurgeon, usado por Deus, deixou algumas considerações sobre essa tão preciosa palavra bem como sobre o medo que tenta abalar a fé.
Abaixo seguem alguns trechos:
Você submeteu sua vontade à vontade de Deus? Você deseja saber qual é a vontade de Deus, e depois fazer apenas o que Ele propõe a você?
Deus, no versículo acima apresenta, uma doença muito natural – o medo. Em segundo lugar, um comando contra o medo – “Não temas”. E em terceiro lugar, a promessa de  nos ajudar a superá-lo. E essa promessa é dada para que possamos expulsar o medo.
Existe uma doença muito comum entre os homens -  MEDO E DESÂNIMO. Essa doença veio ao coração do homem junto com o pecado. Adão nunca teve medo de Deus, até o dia em que descumpriu o Seu mandamento.
É o pecado, a consciência do pecado, que “nos faz a todos covardes”. O pecado é a mãe do medo que nos atormenta.
E, irmãos, o medo permanece nos homens bons porque o pecado permanece neles. Se eles tivessem atingido a perfeição do amor, isso expulsaria o medo, pois o medo traz tormento. Mas, uma vez que a carne ainda está neles, e os desejos ainda se esforçam para comandar, até o mais santo dos povos de Deus fica, às vezes aflito.
Na medida em que a Divina Graça cresce e aumenta em poder, o medo diminui.
Mas Deus nos fez uma promessa que haverá um dia em que nos livrará de todo o pecado que habita em nós. Então, nossos espíritos irão buscar a Deus como as faíscas procuram o sol.
A Graça está ali, é verdade, mas o medo cega a melhor natureza, e fixa seu olhar somente no corpo dessa morte.
Se qualquer um de nós pudesse ver seu próprio coração da maneira como ele realmente é, enlouqueceria. Mas a Fé olha para todas as ruínas da queda e acredita que o sangue de Cristo trará a vitória.
Se o medo encontrar alimento dentro de você, logo irá encontrar alimento fora. Às vezes é pobreza, outras, doença, é a recordação do passado e, tão frequentemente, o temor do futuro. Até aqueles que têm fé em Deus podem ocasionalmente ser fracos o bastante para ter medo e desanimarem diante de circunstâncias comuns às quais deveriam ser indiferentes, ou superar por meio da fé.
“Porventura poderiam as pequenas nuvens finas desta vida passageira
Apagar a luz do Amor Imutável?
Poderiam as névoas sem substância dos cuidados terrenos
Ocultar dos santos os montes eternos
Dos quais seu rápido socorro deve descender?
Até os mais fortes servos de Deus estão sujeitos ao medo. As vezes, os mais dignos heróis do Senhor têm seus momentos de fraqueza, como teve o profeta Elias.
Os melhores homens são apenas homens na melhor das hipóteses, e os mais fortes homens são fracos se a mão poderosa de Deus é afastada por um tempo.
Porém, apesar de eles terem sido abalados, nunca perderam seu forte apego em Cristo.
Nós não devemos permitir que o medo se apodere de nós pois tal estado de espírito quase sempre é resultado da incredulidade.
A fé é o que segura o homem, da mesma forma que uma grande âncora segura um navio quando batem os ventos. Acreditar que Deus não falhará com você o ajuda a suportar as provações.
Não temam, pois isso machuca vocês. Nada pode te enfraquecer tanto, ou te deixar tão infeliz quanto ser uma pessoa temerosa.
Se no tempo da dificuldade, aflição ou perda, a fé do homem Cristão o deixa feliz, resignado e contente com a vontade do Senhor – ora, até as mais grosseiras mentes ímpias verão o poder da Graça Divina!
O tanto de fraqueza que houver, deverá existir muito mais da força de Deus.
Qualquer que seja a quantidade do seu pecado, sempre existirá muito mais da misericórdia de Deus.
Muitas vezes o homem teme a solidão.
Mas eu quero lembra-lo que O Senhor dos exércitos é a melhor das companhias.
O Pai está com você, o Filho, o Espírito Santo também estão com você, e o que isto significa? Significa que a Onipotência estará com você para ser a sua força! A Onisciência estará com você para ser a sua sabedoria! A imutabilidade estará com você para ser o seu auxílio – todos os atributos de Deus estarão com você para ser o seu tesouro. “Não temas, porque eu sou contigo.”
Outro medo atinge os homens consiste em se perder tudo que se tem no mundo.
Seus bens podem ir embora, mas o seu Deus não. Aqueles à sua volta podem roubar seu dinheiro, mas o seu Deus, eles não podem tirar de você.
Enquanto você puder ouvir Deus dizer a você “Eu sou o seu Deus,” você pode triunfar sobre a miséria ou a angústia, a destruição ou a fome. Pois para você, não faltará nenhuma coisa boa.
Outro medo que o homem tem, a não ser que ele seja sustentado pela fé, vem por um senso de fraqueza pessoal.
“Eu tenho uma batalha para lutar, mas sou muito fraco. Eu tenho um trabalho para fazer para Deus, mas eu não tenho poder suficiente para fazê-lo.” Então vem a próxima palavra do texto, “Eu te fortaleço.” A força que eu preciso para realizar meu trabalho não está em mim. Se estivesse, terminaria em mim. Eu sei, com tristeza, quão pequena força existe nesses braços. Mas não existe nenhum homem na Terra que possa me dizer quanta força Deus colocará, se assim Ele quiser, nestes mesmos braços! Se Ele quisesse, poderia permitir que eu, um pobre, fraco e vacilante homem, derrubasse os portões de Gaza, assim como fez Sansão no passado!
Ele pode colocar a força de um gigante nos braços de uma criança, se assim Ele quiser.
Havia um arbusto no deserto, nada de mais para se ver a não ser um arbusto. Mas, ah, como ele brilhou em esplendor quando Deus veio até ele, e ele entrou em chamas, ainda assim, não sendo consumido! Deus pode vir a você, meu irmão, e a você, minha irmã, e fazer você brilhar em glória como o arbusto em Horebe. Ele pode tornar você tão forte, que poderá suportar qualquer coisa. Ele tem feito isso até agora.
Reparem, pois, nesta palavra, “Eu te ajudo”. Eu não vou apenas dar força a vocês para lutarem sozinhos, mas eu vou colocar a Minha força também em outros homens e em Minha providência para ajudar você. Bem, você sabe o quão decisiva é a ajuda de Deus.
“Eu  te ajudo.”
A última palavra do texto é, “E te sustento com a minha destra fiel.” Vários filhos de Deus têm o medo de um dia desonrarem a Cruz de Cristo, e num momento de desatenção escorregar. Esse é um medo muito natural, e em alguns aspectos, um medo muito apropriado.
“Ah, Senhor, com um coração feito o meu,
A menos que Tu me segure firme,
Eu sinto que devo, vou cair,
E perecer no final.”
“Te sustento com a minha destra fiel.” Isso significa que você será sustentado pela mesma mão que segura às estrelas em seu lugar. A mesma mão que segura o arco do Céu sem colunas e que sustenta o mar e a terra. Acaso Ela não poderia segurar você?
Essa mesma mão que deveria ter nos esmagado por causa do nosso pecado, está agora debaixo de nós para nos sustentar em todas as nossas aflições.
Guarde essa certeza em seu coração!
Deus abençoe sua vida!

FONTE:
Todo direito de tradução protegido por lei internacional de domínio público
Sermão nº 930—Volume 16 do The Tabernacle MetropolitanPulpit, 

Original em inglês: Away with Fear

Tradução:  Maria Eduarda Lyra

Revisão: Daniel Campos
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário