terça-feira, 27 de junho de 2017

Deus conosco!

Algumas pessoas seguem sua trajetória de vida como se estivessem sozinhas, carregando consigo fardos demasiadamente pesados.
Não conseguem dividir problemas, frustrações ou decepções, os quais se acumulam tornando-se uma carga difícil de suportar.
Talvez por insegurança, ou pelas várias situações em que sua confiança foi quebrada, pois ao ser traído, machucado ou decepcionado é trabalhoso voltar a confiar, embora seja extremamente necessário.
Acostumam-se a viver assim, ainda que a solidão assole o coração e esmague a alma.
Meu querido irmão, se você se viu através dessas linhas, preciso lhe dizer algo: Deus não quer que viva dessa maneira e deseja lhe fazer companhia nessa árdua caminhada. ELE desja estar ao seu lado, ser seu melhor amigo e lhe ajudar em cada situação.
Por meio de JESUS lhe deu, além de um Salvador, um AMIGO FIEL que SEMPRE estará com você.  CRISTO não é alguém que fica olhando de longe, mas o acompanha de perto. A bíblia diz que ELE é “Deus Conosco”. (Mateus 1: 23)
Não importa quem você é, a cor da sua pele ou sua posição social, porque ELE não faz acepção de pessoas. (Atos 10:34)
Se você acredita que a bíblia contém as verdades de Deus e, portanto, JESUS é verdadeiramente “Deus Conosco”, pode agora contar a ELE seus problemas por meio da oração, como alguém que conversa com seu amigo.
DEUS CONOSCO significa que em momento algum você está sozinho, pois o TODO PODEROSO, criador do universo se importa com tua alma.
O mundo quer lhe iludir, afirmando que Deus é inalcançável, mas a bíblia, em oposição, diz que Deus está com você, que ELE habita em você. Então, qual deles ouvirá?
Peça a CRISTO que lhe mostre SUA graça e verá o quanto Deus é MARAVILHOSO!
Estive lendo mais um dos sermões de Charles H.Spurgeon e decidi compartilhar alguns trechos.
O desejo do meu coração é que traga edificação para a sua vida e que o Santo Espírito de Deus fale poderosamente ao seu coração!

Deus Conosco – Charles H.Spurgeon
Sermão pregado na manhã de Domingo 26 de Dezembro de 1875 por Charles Haddon Spurgeon no Tabernáculo Metropolitano, Newington, Londres.

“E chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que traduzido é: Deus conosco.” (Mateus 1: 23)

Essa palavra, “traduzido,” é uma doce saudação para meu ouvido. Por que é necessário que a palavra em hebraico “Emanuel,” seja traduzida?
Para mostrar que se refere também a nós, os gentios.
Cristo não é unicamente o Salvador dos judeus, mas o é dos gentios também.
Traduzido” significa que diferentes nações estão envolvidas.
Temos o texto expresso primeiro em hebraico “Emanuel,” e logo é traduzido para a língua gentia, “Deus conosco;” “sendo interpretado,” para que saibamos que somos convidados, bem-vindos, que Deus viu nossas necessidades e proveu-as, e que agora podemos vir livremente, inclusive nós, que éramos pecadores pertencentes aos gentis, distanciados de Deus.
Nosso texto fala de um dos nomes do nosso Senhor Jesus. Diz, “E chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel.”
Naquele tempo os nomes significavam algo. Aqueles que aparecem na Escritura, como uma regra geral, contém um ensinamento, e este é o caso especial de cada nome atribuído ao Senhor Jesus. Em relação a Ele, os nomes indicam coisas. E se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz, porque realmente Ele é todas essas coisas. Seu nome é chamado Jesus, mas não sem um motivo. Com qualquer outro nome, Jesus não seria tão doce, pois nenhum outro nome poderia descrever adequadamente Sua grandiosa obra de salvar Seu povo de seus pecados. Quando é dito d’Ele, que é chamado isto ou aquilo, significa realmente que o é.
Não identifico que Seus apóstolos ou discípulos O chamem literalmente com esse nome; mas descobrimos que de fato todos eles o fazem, pois falam d’Ele como “Deus manifestado em carne,” e dizem, E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós – e vimos a sua glória, como do unigênito do Pai cheio de graça e de verdade.” (João 1: 14)  Eles não usam exatamente essa palavra especifica, mas a interpretam com frequência e nos fornecem traduções livres e instrutivas, quando proclamam o sentido do título e nos informam de diversas maneiras o significado de Deus conosco na pessoa do Senhor Jesus. É um glorioso fato da mais alta importância, que devido a Cristo ter nascido no mundo, Deus está conosco.
Pode ser que nunca entendamos plenamente como Deus e o homem possam unir-se em uma pessoa, pois quem pode encontrar a Deus mediante investigação?
Estes grandes mistérios da piedade, estas coisas que representam “ainda as profundezas de Deus,” estão além de nossa medida: nosso pequeno barquinho poderia perder-se se nos aventurássemos tão longe neste vasto e infinito oceano, como para perder de vista a costa da verdade claramente revelada. Que permaneça como assunto de fé que Jesus Cristo o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente,” “e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder.” (Hebreus 1:3) não era um anjo; o apóstolo o demonstrou abundantemente no primeiro e segundo capítulos da Epístola aos Hebreus que não poderia ter sido um, pois a Ele são dispensadas honras que nunca foram reconhecidas aos anjos.
Ele não era uma divindade subordinada, ou um ser elevado à Deidade, como alguns supõe absurdamente. Todas estas coisas não são verdades; Ele tão certamente foi Deus como só Deus pode sê-lo. Um com o Pai e o sempre bendito Espírito. Se assim não fosse, não somente a grande fortaleza de nossa fé desapareceria, como também, relativamente a este texto, sua doçura se evaporaria completamente. A própria essência e glória da encarnação é que Ele é Deus que foi coberto com o véu de carne humana: se houvesse sido qualquer outro ser que viesse a nós em carne humana, não se veria nada notável nele, nem, certamente, nada que nos consolasse.
Deus conosco” é um raro deleite, tudo o que “Deus” significa: a Deidade, o infinito Jeová. Os homens que entenderam isso, não consideraram valiosas suas vidas por causa do Deus encarnado; e isto, meus irmãos, nos dia de hoje é digno de seus melhores esforços para difundir as boas novas e digno de uma vida santa para demonstrar seu poder consolador.
Aqui temos a primeira verdade de nossa fé: Deus se manifestou em carne.” (1 Timóteo 3:16) Ele que nasceu em Belém e é “Deus conosco.”
Deus conosco” nos inspira esperança e confiança.
Primeiro, admiremos esta verdade; em seguida, consideremo-la com maior acuidade; e depois disso, esforcemo-nos pessoalmente para fazê-la nossa.
Deus o Infinito, uma vez morou no frágil corpo de um menino, e acampou na forma sofredora de um homem humilde. Deus estava em Cristo.” “Se despojou a si mesmo, tomando forma de servo, feito à semelhança de homens“. (2 Coríntios 5:19)
Observe em primeiro lugar, a maravilha da condescendência contida neste feito, que Deus, que fez todas as coisas, Aquele que existe por Si mesmo se uniu ao ser dependente e subordinado, e que o Todo Poderoso se vinculou ao fraco e ao mortal.
Recorde que na pessoa de Cristo a humanidade não era meramente espírito vivificante, mas também carne e sangue que sofria, que padeceu fome, e que morreu.
Oh, vocês que são pecadores, que tremem ao pensar na ira divina, vocês podem levantar suas cabeças com jubilosa esperança de misericórdia e favor, pois Deus está cheio de graça e misericórdia para com essa raça que distingue de tal maneira acima de todas as demais, tomando-a em união com Ele. Tenham ânimo, oh homens nascidos de mulher, e esperem bênçãos inenarráveis Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu“. (Isaias 9:6)
Rogo a vocês que mantenham seu olhar de admiração, e contemplem Deus conosco uma vez mais, como uma garantia de nossa liberação. Somos uma raça caída, estamos afundados no lodo, vendidos sob o pecado, em servidão e escravidão sob Satanás; mas Deus veio a nós, e desposou sua natureza, então somos levantados de nossa queda, não pode ser possível que as portas do inferno encerrem aqueles que têm a Deus com eles. Escravos sob o pecado e servos da lei, ouçam a trombeta do Jubileu, pois Ele veio entre vocês, nascido de mulher e sob a lei, que é Deus Poderoso, dado como garantia para livrá-los.
Jesus, que desce do céu, é a garantia que levará Seu povo ao céu, e Sua adoção de nossa natureza é o selo de que seremos elevados a Seu trono.
Se é “Deus conosco,” e Deus em verdade tomou a condição humana para uni-la a Ele mesmo, então toquemos “os sinos da glória” e alegremo-nos pois virão dias mais brilhantes e felizes; deve haver salvação para o homem e glória para Deus. Aqueçamo-nos sob os raios do Sol da Justiça, que saiu agora para nós, uma luz que ilumina os gentios, e que seja a glória de Seu povo Israel.
Isso fala da vida espiritual do homem, quando Cristo vem a Ele, e se forma nele a esperança de glória. Deus tem comunhão com o homem, e o homem volta a Deus, e recebe outra vez a imagem divina como no princípio.
Emanuel significa primeiro, que Deus em Cristo está conosco em uma associação muito próxima.
A partícula grega utilizada aqui é muito vigorosa e expressa a forma mais forte de “com“. Não é simplesmente “em nossa companhia” como o expressaria outra palavra grega, mas “com” “juntamente com” e “compartilhando com”. Esta preposição é um parafuso apertado, um vínculo firme, que implica, se não é que declara, uma comunhão íntima. Deus está íntima e peculiarmente “conosco.” Agora, pensem por um momento, e verão que Deus, por meio de um fato real, se aproximou de nós em uma íntima associação.
Não pensem que Ele é um homem deificado, nem tão pouco devem considerá-lo um Deus humanizado, ou um semideus. Não confundam as naturezas nem dividam a pessoa: Ele é somente uma pessoa, contudo, é homem verdadeiro como também é Deus verdadeiro.
Estando conosco em nossa natureza, Deus esteve conosco em toda a peregrinação de nossa vida.
Desde a porta de entrada até a porta que fecha o caminho da vida, as pegadas de Jesus podem distinguir-se. Estiveste no berço? Ele esteve. Foste um filho sob a autoridade dos pais? Cristo também foi um menino na casa de Nazaré. Entraste na batalha da vida? Teu Deus e Senhor fez o mesmo; e ainda que não tenha alcançado a velhice, através do trabalho pesado e incessante e do sofrimento, mostrava o semblante abatido que acompanha a velhice cansada. Estás só? Ele também esteve, no deserto, na ladeira do monte e na tenebrosidade do jardim. Te misturas em círculos públicos? Ele também trabalhou no meio das densas turbas. Onde poderias encontrar-te, no cume do monte, ou no vale, na terra ou no mar, à luz do dia ou na escuridão, onde, pergunto, podes estar sem descobrir que Jesus esteve ali antes de ti?
Dois crentes podem ser muito diferentes entre si, e, no entanto, ambos descobrirão que a vida de Cristo contém pontos similares com suas próprias vidas. Em todos os pontos Ele foi feito semelhante a Seus irmãos. Quão encantador é o fato que nosso Senhor é “Deus conosco,” não aqui ou ali, e de vez em quando, mas eternamente.
Isto se destaca de maneira especial e doce, quando é “Deus conosco” em nossas aflições. Não há dor que rasgue o coração, e me atreveria a acrescentar que não há nenhum mal que afete o corpo, nos quais Jesus não tenha estado conosco em tudo. Sentes as aflições da pobreza? Ele “não tinha onde recostar a cabeça.” Estás triste pelas aflições do luto? Jesus “chorou” junto à tumba de Lázaro. Foste caluniado por causa da justiça, e a calúnia tem atormentado seu espírito? Ele disse: “Afrontas me quebrantaram o coração.” Foste traído? Não esqueças que o amigo de Jesus o vendeu pelo preço de um escravo. Em quais mares de tormenta foste sacudido que não tenham rugido ao redor de Seu barco? Não haverá nenhum vale estreito de adversidade tão negro, tão profundo, sem possibilidade aparente de poder ser atravessado, que não descubras as pegadas do Crucificado ao olhares com atenção. Nos fogos e nos rios, na noite fria e sob o sol ardente, Ele clama: “Estou contigo. Não desmaies, pois Eu sou teu companheiro, o teu Deus.”
É misteriosamente certo que quando vocês e eu nos aproximemos da cena final, da cena que fecha, descobriremos que Emanuel esteve aí. Ele sentiu as dores e angústias da morte, e suportou o suor sangrento da agonia e a sede agonizante da febre. Ele conheceu a separação entre o espírito torturado e a carne lânguida, e clamou, como nós o faremos: “Pai em tuas mãos entrego meu espírito.”(Lucas 23:46)
Seremos levantados em Sua semelhança e nossos olhos verão o Deus encarnado. “Porque eu sei que meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra; E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus.(Jó 19:25) “Deus conosco.” Eu em minha carne O verei como o homem, o Deus. E assim, por toda a eternidade Ele manterá a mais íntima associação conosco. Enquanto os anos passam, Ele será “Deus conosco.” Ele não disse, “Porque eu vivo, vós também vivereis”? Tanto Sua vida humana como Sua vida divina permanecerão para sempre, e o mesmo durará nossa vida. Ele habitará entre nós e nos conduzirá a fontes de águas vivas, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
Deus em Cristo é conosco com a maior proximidade possível.
Mas, em segundo lugar, Deus em Cristo é conosco na reconciliação mais plena.
Houve um tempo em que estivemos afastados de Deus; estávamos sem Deus, em inimizade com Ele por nossas obras ímpias, e Deus também estava distante de nós em razão da natural retidão de caráter que lança a iniquidade para longe d’Ele. Ele tem os mais puros olhos que não podem contemplar a iniquidade, nem o mal pode morar com Ele. Essa estrita justiça que governa o mundo exige que Ele esconda Seu rosto de uma geração pecadora.
Mas agora, o pecado que nos separava de Deus foi eliminado pelo bendito sacrifício de Cristo sobre o madeiro, e a justiça, cuja ausência criou um golfo entre o homem injusto e o justo Deus, essa justiça foi encontrada, pois Jesus trouxe justiça eterna. Portanto agora, em Jesus, Deus é conosco, reconciliado conosco, e o pecado que motivou Sua ira, foi eliminado para sempre de Seu povo.
Eu pelo menos não cessarei de dizer: “Graças te dou, ó Senhor, porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me consolas.” Deus pode agora estar com o homem, e abraçar os pecadores como Seus filhos, o que não poderia ter feito com justiça se Jesus não houvesse morrido.
Deus em Cristo é conosco em bendita comunicação. Ou seja, agora Ele se aproximou tanto de nós que entrou em intercâmbio conosco por meio de uma conversa sagrada. Agora Ele nos fala e fala em nós. Ele nos falou nestes últimos dias por Seu Filho e pelo Espírito Divino com a suave e delicada voz da advertência, da consolação, da instrução, e da direção.
Agora, como Enoque, vocês “caminham com Deus,” e, como Abraão, falam com Ele como um homem fala com seu amigo. O que são suas orações e louvores senão a forma de comunicação que permite sua aproximação com o Altíssimo? E Ele lhes responde quando Seu Espírito sela a promessa ou aplica o preceito, quando com luz fresca lhes instrui na doutrina ou lhes concede uma confiança maior em relação a boas coisas futuras. Oh, sim, Deus está conosco agora, de tal forma que quando Ele clama: “Buscai minha face,” nosso coração Lhe responde: “Tua face buscarei, oh Senhor.”
Em cada santa ordenança, em cada ato sagrado de adoração, agora vemos que há uma porta aberta no céu e um novo e vivo caminho pelo qual chegamos ao trono da graça. Por acaso não é esta uma alegria maior do que todas as riquezas da terra poderiam comprar?
Deus conosco,” é a inscrição em nosso estandarte real, que enche de terror o coração do inimigo e alegra os exércitos dos escolhidos de Deus. Por acaso não é este nosso grito de guerra: O Senhor dos Exércitos está conosco. O Deus de Jacó é o nosso refúgio.“? E quanto a nossos inimigos internos, Deus está conosco para dominar nossas corrupções e debilidades; e sobre os adversários externos, Deus está com Sua igreja, e Cristo prometeu que estará sempre com ela “até o fim do mundo.” Não somente contamos com a palavra e as promessas de Deus, mas temos visto Seus atos de graça a nosso favor, tanto em Sua providência como na obra de Seu bendito Espírito. “Jeová desnudou seu santo braço diante dos olhos de todas as nações.” (Isaias 52:10)
Como podemos estar intimidados quando o Senhor dos Exércitos está do nosso lado?
Não se trata tampouco que Deus esteja conosco simplesmente em atos de poder a nosso favor, mas em emanações de Sua própria vida em nossa natureza pelas quais somos primeiro nascidos de novo, e logo sustentados na vida espiritual. Isto é ainda mais maravilhoso. Pelo Espírito Santo, a divina semente que “Vive e permanece para sempre” é semeada em nossas almas, e dia após dia somos fortalecidos com poder por Seu Espírito no homem interior.
E isto não é tudo, pois como obra prima da graça, o Senhor, por Seu Espírito, mora em Seu povo.
Agora é “Deus conosco” certamente, porque Deus habita em nós. Ou ignorais que vosso corpo é templo do Espírito Santo?” (1 Coríntios 6:19) Como Deus disse: habitarei e andarei entre eles, e serei seu Deus, e eles serão meu povo.”( 2 Coríntios 6:16)
Deus se converte em “Deus conosco” pela restauração de Sua imagem em nós. Deus conosco” significa santificação, a imagem de Jesus Cristo impressa em todos os Seus irmãos.
Deus é conosco na mais profunda identificação. Irmãos, vocês se encontram em aflição? Deus, em Cristo, é compassivo com sua dor. Vocês têm um objetivo grandioso? Eu sei qual é: é a glória de Deus; nisso se identificam com Deus, e Deus com vocês. Permitam-me perguntar-lhes: qual é sua maior alegria? Não aprenderam a regozijar-se no Senhor? Não se alegram em Deus por Jesus Cristo? Então Deus se alegra também em vocês. Ele descansa em seu amor, e se regozija em vocês com cânticos, de tal maneira que Deus é conosco em um sentido muito maravilhoso e por meio de Jesus Cristo, nossas metas e desejos são semelhantes aos de Deus. Desejamos o mesmo, nos esforçamos pelo mesmo objetivo, e regozijamos nos mesmos objetos de deleite.
Quando o Senhor diz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo,” nosso coração responde: Ai, e nós também temos prazer n’Ele.” O agrado do Pai é o agrado de Seus próprios filhos escolhidos, pois nós também nos alegramos em Cristo; nossa própria alma se alvoroça ao som de Seu nome.
Então, se Jesus Cristo é “Deus conosco,” vamos a Deus sem perguntar nem duvidar. Quem quer que você seja, não necessita de um sacerdote ou intercessor para que o apresentem a Deus, pois o próprio Deus se apresentou a você.
Não tenhas medo de aproximar-te do manso Jesus. Não imagines que necessitas estar preparado para uma audiência com ele, ou que necessitas da intercessão de um santo, ou a intervenção de um sacerdote ou de um ministro. Qualquer pessoa poderia ter se aproximado do bebê em Belém.
Jesus é o amigo de cada um de nós, independentemente de quão pecadores e indignos sejamos. Vocês, os pobres, não devem temer vir, pois, vejam, Ele nasceu em um estábulo, e teve por berço uma manjedoura.
Não fiquem com medo de não serem dignos; os pastores vieram a Ele com todo o seu desalinho. Não leio que eles tenham demorado para vestir suas melhores roupas, mas que com as roupas com que se cobriam nessa fria noite, se apressaram, tal como estavam, para ir à presença do bebê. Deus não olha roupas, mas os corações, e aceita os homens quando vêm a Ele com espíritos dispostos, independente se são ricos ou pobres. Venham, então; venham e sejam bem-vindos, pois Deus certamente é “Deus conosco“.
Ele mesmo veio aqui para nascer de uma mulher e poder reunir-se contigo que nasceste de uma mulher também, e salvar-te de teu pecado. Por acaso não prestarás atenção agora que fala por meio de Seu Filho?
Que melhor embaixador você pode desejar? Esta embaixada de paz é enviada de maneira tão terna, tão bondosa, tão amável, tão comovedora, que seguramente não poderá ter o coração de resisti-la. Não, não vá, que teus ouvidos não rejeitem a linguagem de Sua graça, mas diga: se Deus é conosco, nós seremos com Ele.” Diga, pecador: “Me levantarei e irei até o meu pai, e lhe direi: Pai pequei contra ti.”(Lucas 15:18)
Não te desprezes a ti mesmo, oh homem, és muito valioso para depois de tudo, servir de alimento ao verme que nunca morrerá, e alimentar o fogo que nunca se apagará. Volta-te para o teu Deus com pleno propósito de coração, e descobrirás que te espera um grandioso destino.
Sejamos com Deus visto que Deus é conosco.
Não digam: “não podemos fazer nada.” Quem são vocês que não podem fazer nada? Deus é com vocês. Não digam: “a igreja é fraca e atravessa tempos maus,” não, “Deus é conosco.” Necessitamos do valor daqueles antigos soldados que estavam dispostos a considerar as dificuldades unicamente como pedra para afiar suas espadas.
Diante do mandamento de Deus, o cristão pode fazer o possível e o impossível, Deus faz, pois é conosco. Por acaso não creem que as palavras, “Deus conosco,” eliminam da existência a impossibilidade? Os corações que de nenhuma outra maneira poderiam ser quebrantados, serão quebrantados se Deus é conosco. Erros que não poderiam ser refutados de nenhuma outra maneira podem ser eliminados porque  “Deus é conosco.” As coisas impossíveis aos homens, são possíveis a Deus. John Wesley morreu com isso em sua língua, e vivamos com isto em nossos corações: “o melhor de tudo é Deus conosco.


Deus abençoe sua vida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário