segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Por meio de quem cremos???

Antes de entendermos o sacrifício de CRISTO e nosso verdadeiro estado diante de Deus, vivíamos sem nenhum sentimento de culpa. O pecado não era problema, pois ele fazia parte de nossa natureza humana e não percebíamos mal algum. Porém, chega o dia em que algum trecho ou pregação do Evangelho percorre o profundo de nosso ser nos levando a ter um encontro pessoal com Deus .
Então o Evangelho penetra em nossos corações trazendo vida para dentro da alma.
Algumas inseguranças e temores existestes são substituidos pela mais pura esperança.
Somos tomados por uma paz que excede todo o entendimento.
O ESPIRITO de DEUS testifica com o nosso espirito que somos filhos de Deus.
Ficamos leves, aliviados, pois entendemos que estávamos em dívida com Deus e que jamais teríamos condições de quitá-la , todavia,  por meio do sacrifício de JESUS CRISTO na cruz do calvário ela foi totalmente paga. O mais espantoso de tudo...não fizemos nada para merecer...
DEUS nos oferece seu melhor presente, apenas para demonstrar o grandioso amor que sente por nós...
Mas de onde surgiu essa certeza de Salvação?? De onde vem esse sentimento tão forte que nos leva a crer que por meio da fé em CRISTO temos livre acesso á Deus??
O que levou a fé a ser tão profundamente introduzida em nossos corações de forma que passamos a viver por meio dela?
Existe somente UM que é capaz de convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo...Está obra é feita por DEUS através do ESPÍRITO SANTO.
Nenhum homem mortal seria capaz de produzir tal efeito sobre a vida do ser humano, apenas o próprio Deus.
Estive lendo algumas obras de meu amado irmão C.H.Spurgeon e dentre elas encontrei uma entitulada “NOSSO MANIFESTO”. Enquanto discorria as páginas, percebi a importância de ratificar por meio de quem recebemos e entendemos o Evangelho. Seguem algumas de suas considerações:

Nosso Manfesto – C.H.Spurgeon

PARA NÓS O EVANGELHO NÃO É SEGUNDO OS HOMENS, QUANTO A MANEIRA COMO O RECEBEMOS.
Nós também recebemos o evangelho de uma forma que fica além do poder do homem para transmiti-lo a nós: os homens o trouxeram aos nossos ouvidos, porém foi o Senhor que o aplicou aos nossos corações, a fim de regenerá-los, convertê-los e santificá-los. Houve um ato preciso de Deus o Espírito Santo, através do qual a instrumentalidade tornou-se eficaz, e a verdade se tornou efetiva nas nossas almas.
Não recebemos nossa fé pela tradição dos nossos pais; Não temos nenhum pai na vida espiritual, exceto o Senhor, e não temos recebido essa vida, ou o evangelho, através de parentesco carnal e sim, somente da parte do Senhor.
O modo de Deus pelo qual devemos receber a verdade, é recebê-la pelo Espírito Santo. é coisa sábia clamarmos por graça, a fim de nos apropriar de cada verdade e deixarmos que elas penetrem profundamente em nosso ser. Está na hora de sermos capazes de dizer: "Esta verdade é tão minha pessoalmente, como se nunca a tivesse recebido dos lábios de algum homem. Eu a recebi porque foi escrita no meu coração diretamente pelo Senhor.
Nunca pensamos em citar a comunidade de homens chamados "a igreja" como a autoridade final em relação à consciência.

"...não aprendemos assim a Cristo".
temos recebido a verdade pessoalmente por revelação às nossas almas pelo Espírito do Senhor  temos recebido no íntimo a verdade que pregamos pelo ensino do Espírito Santo.
Verificaremos, então, quando a luz penetrou em nós, revelando nosso estado perdido e quando começou a base de nosso ensinamento.
Que eu era culpado, eu sei, eu cria, pois fui ensinado assim; entretanto naquele momento, eu sabia no fundo do meu ser que era verdade.
Eu havia escutado a lei de Deus pregada, e enquanto ouvia, estremecia; mas agora eu sentia uma íntima convicção de culpa pessoal de modo mais penetrante. Eu me vi um pecador; e que visão é essa! O medo tomou conta de mim, como também a vergonha e o temor. Então percebi como é verdadeira a doutrina da malignidade do pecado; e que castigo isso deve acarretar. Essa doutrina eu jamais recebi de homens.
A preciosa doutrina da paz mediante o precioso sangue de Jesus, também conhecemos através do ensino íntimo e pessoal.
Agora, ficamos ao pé da cruz. Por nós mesmos contemplamos Seu amado rosto, e vimos em Seus olhos tanta misericórdia, vimos as mãos e os pés cravados na cruz por nossa causa. Oh irmãos, quando vimos o Senhor Jesus, como nosso Fiador, sofrendo por nossas ofensas, então recebemos a verdade da redenção e perdão de uma maneira que não era "segundo os homens"!
Homens bondosos que foram para o céu, realmente nos pregaram o evangelho plena e fervorosamente, e labutaram para que Cristo fosse conhecido por nós; porém para revelar o Filho de Deus em nós estava além do poder deles. Desde nossos primeiros dias, temos experimentado uma abertura gradual do evangelho para nosso entendimento, mas em todo esse processo nosso real progresso tem sido da parte de Deus, e não dos homens. seu aprendizado espiritual, se for real e verdadeiro, é concedido pelo Senhor. Seu tutor tem sido o Espírito Santo. Por nenhum outro método nossos espíritos podem aprender a verdade de Deus a não ser pelo ensinamento dado pelo Espírito de Deus.
Uns poucos minutos silenciosos, abrindo a alma diante do Senhor, têm nos trazido mais tesouros da verdade do que horas de diligentes pesquisas.
A verdade é como cavernas de estalactites e grutas das quais temos ouvido falar, na qual você precisa penetrar e ver por si mesmo, para ver suas maravilhas. Se você se aventurar ali sem lanterna ou guia, correrá grandes riscos; mas com luz intensa e flamejante, e um guia instruído, sua entrada será cheia de interesse.
Assim o Espírito Santo nos guia a toda a verdade, e irradia Sua luz sobre o eterno e o misterioso. Isso Ele faz em certos casos de maneira muito pessoal.
Com quanta freqüência o Senhor ensinou Sua própria verdade aos Seus servos na escola da tribulação! Falamos bem da meditação, é como a prata; porém a tribulação é como ouro refinado. A tribulação não somente opera a paciência, porém a paciência traz experiência, e na experiência há um profundo e íntimo conhecimento das coisas de Deus que não pode nos vir por nenhum outro meio.
Enquanto você estava passivamente deitado em paz, é possível que tenha visto uma passagem das Escrituras surgir como uma estrela surge entre frestas de nuvens de tempestade, a qual brilhou com tal intensidade que evidentemente apenas o Senhor Deus poderia ter-lhe dado aquilo. A depressão espiritual e a tortura física, foram esquecidas, enquanto o esplendor da promessa enchia plenamente de luz a sua alma. Há um lugar lá atrás no deserto que você nunca deve esquecer. Ali cresce uma sarça. Ela não é muito promissora, a tal sarça; mas é sagrada para você; porque foi ali que o Senhor Se revelou à você, e a sarça ardia porém não se consumia. Nunca desaprenderá a lição da sarça em chamas.
Porventura conhecemos alguma verdade antes que o Espírito a acenda dentro de nós, e grave-a em nossas almas com uma pena de ferro, e com a ponta de diamante? Existem meios de aprender pelos quais somos muito gratos; não obstante, a maneira mais segura de aprender a verdade divina é tê-la "gravada" de maneira que ela tome posse completamente da alma. Aí então, não somente cremos como também damos a nossa vida por ela; ela vive em nós, e ao mesmo tempo, vivemos dela. Tal verdade lateja em cada pulsar, pois acelera o coração. Não o questionamos, não podemos, pois que vive em nós e molda o nosso ser. O diabo insinua perguntas, mas nós não somos responsáveis pelo que ele tem prazer em fazer, e pouco nos importamos, pois ele sussurra num ouvido surdo.
Se não acreditar no poder do sangue expiador, então nunca assista a morte dos crentes, pois descobrirá que eles não confiam em outra coisa. A morte de Cristo é o único recurso do crente.
Tudo pode na terra falhar, Ele, porém, é minha força e sustentação."
"Eu ouvi uma palavra na rua, quase por acidente, que me fez tremer diante de Deus". Aí está a eleição da graça.
Havia uma mulher, ninguém conhecia as trevas como ela conhecia, e por isso eles não poderiam se regozijar na luz assim como ela.
Para achar um santo que muito ama, você precisa encontrar alguém a quem muito foi perdoado.
Temos sido despertados de um desmaio, encorajados para um esforço total e estimulados para um sacrifício, por um versículo que se tornou não apenas uma palavra num livro, e sim a própria voz de Deus à nossa alma - a viva voz do Senhor, tão cheia de majestade.
Um pensamento de importância fundamental pode estar imbutido no singular ou plural de uma única palavra.
pois Ele penetra no âmago da minha alma, Ele me lê como uma página aberta, Ele e conforta como alguém criado comigo, Ele penetra nas profundezas dos meus pesares e participa das minhas maiores alegrias.
A Palavra de Deus trata conosco como nenhuma palavra de homem jamais fez ou poderá fazer. Portanto não a recebemos de homens.
As palavras dos filósofos podem ensinar-nos o que é a santidade, porém a Palavra de Deus nos torna santos.
A Palavra não é meramente um instrumento para o bem, é algo que o Espírito Santo usa para produzir uma energia ativa dentro da alma para purificar o coração do pecado, a fim de que se possa dizer: "Vós estais limpos pela palavra que eu vos tenho falado".
Você tem em si mesmo o testemunho, a evidência de coisas que não se vêem, o selo da eterna verdade.

PARA NÓS, A VERDADE NÃO É SEGUNDO OS HOMENS
Se alguém pensa que o evangelho é apenas mais uma de muitas religiões, então deixo-o comparar, honestamente, a Palavra de Deus com outras pretensas revelações.
Reiteramos, não pode ser "segundo os homens" porque ela se opõe ao orgulho humano. Outros sistemas envaidecem os homens, mas este fala a verdade. Deus é tudo no evangelho. em nosso evangelho "a salvação provém do Senhor".
O homem jamais poderia inventar um evangelho que o humilhasse deveras, e que atribuísse toda a glória, honra, e louvor ao Senhor Deus. não é "segundo os homens" porque ele não dá nenhum abrigo ao pecado.
Se alguém pregar um evangelho que faz concessões à natureza humana, e trata do pecado como se fosse um engano em vez de grande ofensa contra Deus, encontrará ouvintes ávidos.
Mas o nosso evangelho declara que o salário do pecado é a morte, e que só podemos ter vida eterna como dom de Deus; e esse dom sempre traz tristeza pelo pecado, ódio a ele e o apartar-se dele.
O nosso evangelho nos ensina que o homem precisa nascer de novo, e que sem o novo nascimento ele estará perdido para sempre, ao passo que, com ele, obterá salvação eterna. O nosso evangelho não oferece desculpa ou cobertura para o pecado, porém o condena completamente. Não apresenta perdão, exceto através da expiação, e não oferece segurança nenhuma para o homem que abriga qualquer pecado dentro de si. Cristo morreu pelo pecado, e nós precisamos morrer para o pecado, ou morreremos eternamente.
Os homens precisam sentir a malignidade do pecado, antes que possam apreciar o grande sacrifício que é o ápice e o cerne do nosso evangelho.
Sabemos que o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo não é "segundo os homens" porque o nosso evangelho é tão apropriado para os pobres e iletrados.
Louvamos a Deus que escolheu as coisas simples, e as desprezadas.
O evangelho que tenho pregado não é "segundo os homens", pois desconhece a seleção e exclusividade, porém, valoriza a alma.
Finalmente, temos certeza que o evangelho pregado por nós não é "segundo os homens" porque eles não o levam em consideração. Ele é combatido até hoje.
Será bem vindo pelos homens; porém, precisa de uma operação divina no coração e na mente para tornar um homem disposto a receber, no fundo de sua alma, este indigesto evangelho da graça de Deus.
Aprendam, então, que se tirarem Cristo do cristianismo, o cristianismo estará morto. Se removerem a graça do evangelho, o evangelho deixa de existir.
Um grande general, aproximando-se de seu rei tropeçou em sua própria espada. "Eu vejo", disse o rei, "sua espada está lhe atrapalhando". O guerreiro respondeu: "Os inimigos de sua majestade freqüentemente sentem o mesmo".
Para a maioria de nós o entendimento é como um estreito portão de entrada para a "cidade da Alma Humana", e as grandes coisas de Deus não podem ser diminuídas para poderem passar por aquela entrada.
Creiamos nelas através do testemunho divino, e quando elas nos provarem ou mesmo parecerem ofender nossa sensibilidade humana, ainda assim que as recebamos por serem divinas. Não devemos opinar sobre o que deve ser a verdade de Deus; temos que aceitá-la como Deus a revela.
A seguir, que cada um de nós aguarde oposição se ele receber a verdade do Senhor, e especialmente oposição de uma pessoa que é próxima e querida por ele - a saber - ele mesmo.
A natureza carnal se opõe à verdade, pois ela não está reconciliada com Deus, e nem, na verdade, poderia estar. Oremos ao Senhor para vencer nosso orgulho, para que a verdade nos domine, apesar de nosso coração mau.
Eles não crerão em seus relatos a não ser que o braço do Senhor lhes seja revelado. Mas depois, se a fé for operada pelo Espírito Santo, não precisamos temer que os homens possam destruí-la.
Possivelmente eles nos chamem de fanáticos, ou intolerantes, ou mesmo idiotas; mas isso significa pouco se nossos nomes estiverem escritos no céu.
Se estas coisas nos vierem da parte de Deus, podemos descansar completamente nelas.
Alguma vez você se apoiou num braço de carne sem descobrir que os melhores dos homens são apenas homens no melhor dos casos? Mas se estas coisas vem de Deus elas são eternas e totalmente suficientes.
Quando os invasores cercaram Roma, e toda a região ficou à mercê deles, um terreno estava à venda, e um romano o comprou por um valor justo. O inimigo estava lá, mas ele seria desalojado. Talvez o inimigo destruísse o Estado romano. Deixe-o tentar! Tenha você a mesma firmeza.
O evangelho eterno é nossa bandeira, e com Jeová para sustentá-lo, nosso padrão nunca baixará. No poder do Espírito Santo a verdade é invencível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário